Ciro de Luca / Reuters
Ciro de Luca / Reuters

Com dupla nacionalidade, Jorginho fica fora da lista de Tite e tem futuro incerto

Meiocampista do Napoli pode ser convocado para defender a seleção italiana contra a Suécia

Marcio Dolzan, Estadão Conteúdo

20 Outubro 2017 | 12h46

Ausente da lista de convocados de Tite para os amistosos do Brasil contra Japão e Inglaterra, o volante Jorginho, do Napoli, está com caminho aberto para defender a seleção italiana. A imprensa do país europeu cogita a possibilidade de o jogador, que tem dupla nacionalidade, ser convocado para a repescagem das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018 diante da Suécia. Caso isso se confirme e ele entre em campo, não poderia mais atuar pela seleção brasileira.

+ Com voltas de Diego Souza e Douglas Costa, Tite convoca seleção para amistosos

+ OPINIÃO: Apesar do discurso, Tite já tem o grupo da Copa fechado

Nesta sexta-feira, o coordenador de seleções da CBF, Edu Gaspar, confirmou que o volante vem sendo observado por Tite e seus auxiliares. "Eu conversei pessoalmente com o Jorginho depois da reunião que tivemos com a comissão técnica, sobre o interesse e as observações que estavam sendo feitas", disse Edu. "Fiz questão de ligar pra ele e falar a verdade dos fatos que nós estávamos conversando. Deixei ele à vontade para tomar uma decisão, que é delicada e importante para a carreira do atleta."

Edu, contudo, considerou que Jorginho ainda tem chances de vestir a camisa da seleção brasileira. Mas, para tanto, o jogador terá que esperar e decidir por conta própria sobre qual equipe nacional pretende defender.

"Ele está, sim, ainda sendo observado. O Sylvinho (auxiliar de Tite) tem acompanhado muitos jogos dele na Itália. Nós conversamos internamente sobre ele, sobre as características, sobre que função poderia vir jogar. Vamos esperar o futuro e as decisões, mas o importante é que temos tranquilidade que o atleta está sabendo o que nós estamos pensando", ponderou o coordenador da seleção.

Mais conteúdo sobre:
futebolJorginhoEdu GasparTite

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.