Felipe Oliveira / EC Bahia
Felipe Oliveira / EC Bahia

Com dúvida no ataque, Bahia tenta triunfo para se afastar mais de zona de risco

Ceará espera vencer antes de duelo com Paraná para atingir 44 pontos e escapar de vez do rebaixamento

Estadão Conteúdo

14 de novembro de 2018 | 07h34

O Bahia encerrou na terça-feira a preparação para o duelo direto contra o Ceará, marcado para as 21 horas desta quarta-feira, na Arena Fonte Nova, em Salvador. O técnico Enderson Moreira abriu apenas 15 minutos do treino à imprensa e deixou algumas dúvidas. A principal delas é se o atacante Gilberto começará como titular.

Fora de combate há quase um mês, Gilberto está recuperado de uma lesão no joelho sofrida no dia 20 de outubro, quando o time baiano venceu o Botafogo por 1 a 0. Ele voltou a treinar na semana passada e chegou a ser cogitado para jogar o Ba-Vi do último domingo, que terminou empatado por 2 a 2. O departamento médico, no entanto, vetou o seu retorno.

Resta saber se o atacante vai começar jogando. Titular da posição no clássico, Júnior Brumado está suspenso pelo terceiro cartão amarelo, o que naturalmente abre caminho para Gilberto. Apesar disso, Edigar Junio também briga pela vaga. Ele tem atuado como titular.

Com essa dúvida no ataque, o Bahia tenta buscar uma vitória que o faria se afastar ainda mais da zona de rebaixamento. O time ocupa hoje a 11ª posição, com 41 pontos, apenas quatro à frente da Chapecoense, equipe que hoje encabeça a área de risco da tabela, na 17ª colocação.

Além de Júnior Brumado, a equipe baiana não poderá contar com o volante Nilton, também suspenso e que deve ser substituído por Flávio. Outra provável alteração vai depender de uma avaliação do departamento médico em relação às condições de jogo do lateral-direito Nino Paraíba. Caso ele seja vetado, a vaga fica com Bruno.

CEARÁ FAZ CONTAS PARA EVITAR REBAIXAMENTO

O técnico Lisca não deixou se abater pelo empate por 1 a 1 com o Internacional no último final de semana, afinal o adversário era um dos concorrentes diretos pelo título do Campeonato Brasileiro. Muito pelo contrário. O treinador valorizou o resultado e já começou a fazer as contas para manter o Ceará na primeira divisão.

A conta de Lisca é bem simples. De acordo com o treinador são necessários 44 pontos para garantir a permanência atualmente o clube tem 38, seis a menos do que a meta. Em um intervalo de apenas oito dias o elenco do Ceará tem três jogos consecutivos, contra Bahia e Fluminense, ambos fora de casa, e o tão esperado jogo com o Paraná, em Fortaleza (CE). A ideia é vencer um dos jogos como visitante para depois levar sacramentar a permanência na elite em 2019 na Arena Castelão.

"Não podemos contar só com os jogos dentro de casa. Temos dois (fora) e são seis pontos que estão nos faltando para chegar aos 44. Queremos pontuar, buscar nosso espaço e nossa aproximação dos 44 fora de casa. Nosso objetivo é pelo menos ganhar um deles e empatar o outro para chegar com tudo e decidir contra o Paraná", projetou Lisca.

Contra o Bahia, o treinador já adiantou que o time deve ter mudanças. O principal problema do elenco é o cansaço dos atletas. O zagueiro Tiago Alves deixou o jogo contra o Internacional com uma lesão na coxa e Valdo pode assumir o seu lugar. Na lateral esquerda, Felipe Jonatan deve ser poupado, abrindo espaço para João Lucas. O lateral-direito Samuel Xavier terminou o jogo com cãibras, mas provavelmente vai ser mantido.

"Precisamos ter cuidado no treinamento. Já jogamos quarta, vamos viajar para o Rio de Janeiro e precisamos ver quem estará à disposição. Agora é o momento do grupo dar uma resposta", finalizou Lisca.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.