Ricardo Duarte/Internacional
Ricardo Duarte/Internacional

Com dúvidas no meio, Inter encara o Palmeiras em busca da 1ª vitória fora de casa

Para duelo contra o time paulista, técnico Odair Hellmann deve escalar equipe com força total

Redação, Estadão Conteúdo

04 de maio de 2019 | 10h50

Com a confiança renovada depois de vencer o Flamengo, um dos postulantes ao título do Campeonato Brasileiro, e conquistar o primeiro triunfo no torneio nacional, o Internacional tem outro páreo duro pela frente. Encara o Palmeiras, atual campeão, neste sábado, às 19 horas, no Allianz Parque.

O Inter derrotou o Flamengo em casa por 2 a 1 na rodada anterior depois de ter estreado mal ao ser superado por 2 a 0 pela Chapecoense, em Chapecó. Na ocasião, o técnico Odair Hellmann escalou reservas e, depois do revés, acabou sendo muito criticado pela estratégia.

Para o duelo com o Palmeiras, com o qual o Inter brigou pelo título até a reta final do Brasileirão em 2018, Odair escalará o que tem de melhor no momento, ou seja, o time igual ou muito parecido com o que bateu o Flamengo no meio de semana, com exceção do volante Rodrigo Dourado, que é dúvida por conta de dores no joelho esquerdo.

O volante e capitão da equipe não participou do último treinamento da equipe colorada e ficou na academia realizando trabalhos especiais. Rithely e Rodrigo Lindoso brigam pela vaga, caso Dourado seja confirmado como desfalque. O zagueiro Emerson Santos é desfalque certo. Ele ainda se recupera de lesão e, mesmo que estivesse apto fisicamente, não poderia atuar pois pertence ao Palmeiras.

Odair tem outra dúvida no meio, mas não por lesão e sim por questão técnica e física. D'Alessandro, titular na última partida, não tem sido titular em todas partidas em razão da idade e pode ser substituído pelo meia Sarrafiore, seu sucessor natural na posição e que conquistou a torcida com seus gols, em especial o último, que garantiu a primeira vitória no Brasileirão. O jovem meia argentino, que veio do Huracán, é o vice-artilheiro do time na temporada ao lado de Guerrero, com quatro gols, e só balançou a rede menos vezes que o uruguaio Nico López, com seis.

"Vamos jogar como sempre jogamos. Marcando forte, procurando o gol a todo momento e procurando fazer um bom futebol", prometeu o lateral-direito Zeca, que também disse que o segredo para vencer o atual campeão é anular o ataque rápido do rival.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.