Com eficiência, Santos atinge objetivos no início do ano

A eficiência tem sido a grande marca do Santos neste começo de temporada vitorioso. Ainda invicto em 2007, o time de Vanderlei Luxemburgo lidera com folga o Campeonato Paulista e está perto da vaga na fase de grupos da Copa Libertadores da América. E ainda tem conseguido superar as dificuldades que encontra pelo caminho, como a violência dos jogadores do Blooming e mau estado do gramado em Santa Cruz de la Sierra (Bolívia), na vitória por 1 a 0 da semana passada, ou como a grande desvantagem que tinha para o Palmeiras, fora de casa, no clássico que terminou 3 a 3 no domingo.A prova mais concreta da competência do novo Santos é que as marcas negativas de 2006 estão ficando para trás. Enquanto não conseguia vencer fora de Santos e da Grande São Paulo no ano passado, o time já soma três vitórias e um empate longe de casa nesta temporada. Além disso, jogadores como os atacantes Rodrigo Tiuí e Jonas, depois de um longo jejum no ano passado, voltaram a fazer gols, a exemplo de Fabiano, retornando de longa inatividade em razão de uma cirurgia no joelho direito. "A versatilidade de alguns jogadores me permite mudar a maneira do time jogar mesmo sem trocar jogadores", explicou o técnico Vanderlei Luxemburgo, satisfeito com a resposta positiva que os reforços Antônio Carlos, uma de suas contratações mais questionadas, Pedro e Rodrigo Souto estão dando em campo.Luxemburgo mantém uma base - é, inclusive, a mesma do ano passado -, mas apresenta algumas variações táticas, que utiliza conforme os jogos se desenvolvem. Um exemplo disso é a dupla de volantes Rodrigo Souto e Maldonado, que têm características semelhantes: um deles, normalmente, executa função de terceiro zagueiro, ao lado de Antônio Carlos e Adaílton.Outra dupla bastante versátil é a da armação das jogadas, com Cléber Santana e Zé Roberto. Os dois podem aparecer mais na frente e também podem reforçar a marcação mais atrás. Só o ataque continua sendo um problema no novo Santos armado por Luxemburgo. A atuação do meia Pedrinho no segundo tempo do clássico indica que metade do problema pode estar resolvido. Sem lugar no setor, que já tem Maldonado, Rodrigo Souto, Zé Roberto e Cléber Santana, ele pode acabar virando atacante titular."Vanderlei (Luxemburgo) vê o jogo como ninguém e na etapa final me colocou como número 1, vindo de trás, com a bola dominada e acho que fui bem nessa função", disse Pedrinho, lembrando do segundo tempo do jogo com o Palmeiras, quando o Santos perdia por 2 a 0 e chegou aos 3 a 3.Para completar o esquema armado por Luxemburgo, faltaria um centroavante. O técnico disse acreditar que esse jogador pudesse ser Fabiano, mas suas atuações não têm convencido. Além disso, o seu joelho direito, que foi operado no ano passado, voltou a inchar e o tirou do clássico. Marcos Aurélio, Rodrigo Tiuí e Jonas surgem como opção para a posição, mas essa parece ser a única peça que ainda resta para o Santos ficar pronto.Volta após o clássicoOs jogadores do Santos se reapresentaram no Centro de Treinamentos Rei Pelé no fim da tarde desta segunda-feira. Mas os titulares fizeram apenas um trabalho leve, para se recuperarem do desgaste que sofreram no clássico de domingo, contra o Palmeiras.Contra o Blooming, quarta-feira, na Vila Belmiro, pela Libertadores, a novidade do Santos será o lateral-direito Pedro. Ele cumpriu suspensão contra o Palmeiras e volta no lugar de Neto, que não foi bem no confronto do fim de semana.O Santos precisa apenas de um empate contra o Blooming, pois venceu na Bolívia por 1 a 0, para ficar com a vaga na Libertadores. Se conseguir, entra no Grupo 8 do torneio, ao lado de Gimnasia y Esgrima (Argentina), Defensor (Uruguai) e Deportivo Pasto (Colômbia).

Agencia Estado,

05 de fevereiro de 2007 | 17h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.