Lucas Uebel/Grêmio
Lucas Uebel/Grêmio

Com experiência no México, Kannemann prevê duelo difícil na semi

Grêmio enfrenta o Pachuca por vaga na final do Mundial de Clubes

Estadão Conteúdo

11 de dezembro de 2017 | 15h18

Com experiência no futebol mexicano, o zagueiro Walter Kannemann acredita que o Grêmio terá dificuldade para superar o Pachuca, nesta terça-feira, pela semifinal do Mundial de Clubes da Fifa, nos Emirados Árabes Unidos. Para o defensor gremista, o jogo será encarado como uma final pela equipe brasileira.

+ Com elenco completo, Grêmio faz treino descontraído antes de semifinal

"O Pachuca é um time muito bom. Eu já joguei no México e sei do que eles são capazes. Serão adversários bem complicados para nós", disse Kannemann, que atuou no Atlas entre 2014 e o meio do ano passado, quando passou a defender o time gaúcho. "Assistimos ao jogo deles contra o Wydad [Casablanca] e foi intenso."

Kannemann se refere ao duelo de estreia do Pachuca na competição, pelas quartas de final - somente o Grêmio e o Real Madrid começam direto nas semifinais. A partida terminou somente na prorrogação. O cansaço do rival, contudo, não é fator motivador para o Grêmio. Afinal, a equipe está em clima de fim de temporada.

"Jogamos mais de 70 jogos nesta temporada. Mas jogar no Mundial de Clubes é muito importante para a América do Sul", afirmou, ao assegurar a motivação gremista. "Todo jogador e todo fã sonha com o título da América do Sul [a Copa Libertadores] e a chance de ganhar o título mundial."

O duelo entre Grêmio e Pachuca está marcado para as 15 horas desta terça-feira (horário de Brasília), na cidade de Al Ain, nos Emirados Árabes Unidos. O vencedor enfrentará na final do Mundial quem triunfar entre Real Madrid e Al Jazira. Os dois times vão entrar em campo na quarta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.