Peter Powell / EFE
Peter Powell / EFE

Com falhas de Ederson, United vence City no clássico de Manchester

Time de Solskjaer segue sonhando com vaga na Liga dos Campeões, enquanto equipe de Guardiola vê Liverpool cada vez mais distante

Redação, Estadão Conteúdo

08 de março de 2020 | 16h26

Neste domingo, pela 29ª rodada do Campeonato Inglês, o Manchester United recebeu o rival Manchester City, no Old Trafford, e venceu o clássico da cidade por 2 a 0. O autores dos gols vitoriosos foram o atacante francês Anthony Martial e o volante escocês Scott McTominay, que se aproveitaram de falhas graves do goleiro brasileiro Ederson para decretarem o triunfo vermelho.

O resultado eleva os comandados do técnico norueguês Ole Gunnar Solskjaer aos 45 pontos, agora na quinta posição da tabela, que rende acesso à próxima edição da Liga Europa. Três pontos à frente, o Chelsea é o quarto e encerra a zona de classificação à Liga dos Campeões, principal torneio do continente.

Já o Manchester City, do treinador espanhol Pep Guardiola, estaciona nos 57 pontos, mas mantém a segunda posição do campeonato, mesmo com um jogo a menos em relação aos rivais. O líder isolado é o Liverpool, que soma 82. Em terceiro, aparece o Leicester City, com 50.

O jogo deste domingo começou estudado, com a equipe da casa mais cautelosa e os visitantes com mais posse de bola, mas sem criatividade. Aos poucos, o United foi criando chances no contra-ataque e levando perigo à meta adversária, enquanto o City procurava criar oportunidades pelos lados do campo.

De todo modo, o gol decisivo saiu após uma rápida cobrança de falta. Na intermediária esquerda de ataque dos mandantes, o meia português Bruno Fernandes deu uma cavadinha que surpreendeu a defesa azul. Martial foi veloz e bateu de primeira, contando com falha de Ederson para fazer 1 a 0 aos 30 minutos.

No segundo tempo, o City foi em busca do empate e aumentou o ritmo ofensivo no campo do rival, mas deixou espaços na retaguarda. O United aproveitou as brechas para explorar contra-ataques conectados com velocidade por Bruno Fernandes e o volante brasileiro Fred.

Pelos visitantes, a ausência do meia-atacante belga Kevin De Bruyne foi bastante sentida. Com lesão nas costas, o jogador do City foi poupado do clássico e fez falta no setor de armação. Os comandados de Guardiola chegaram a marcar com Sergio Agüero, mas o atacante argentino estava impedido.

No caso dos donos da casa, o principal obstáculo para uma vitória mais tranquila foi a fome de gols de Martial e do ponta galês Daniel James. Ambos finalizaram em cima de Ederson em lances nos quais Bruno Fernandes aparecia livre e em melhores condições de remate.

De todo modo, Ederson voltou a aparecer mal para definir os 2 a 0 para o United. No final dos acréscimos, o goleiro da seleção brasileira errou na saída de bola e entregou a bola para McTominay, que entrou no fim do jogo e finalizou com precisão de longe, sem chances para o arqueiro, que estava fora do gol.

Após o revés frente ao maior rival local, o City poderá se reabilitar diante do londrino Arsenal, já que a equipe de Manchester recebe o time da capital nesta quarta-feira, às 16h30 (horário de Brasília), também pelo Campeonato Inglês.

O United, por sua vez, tem compromisso pela Liga Europa diante do LASK,. Disputada em solo austríaco, a partida será na próxima quinta-feira, às 14h55, pela fase de oitavas de final do segundo maior torneio continental europeu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.