Reprodução/Instagram
Reprodução/Instagram

André causa revolta ao apagar escudo do Atlético-MG em foto

Ação é interpretada pelos torcedores como desrespeitosa

Estadão Conteúdo

12 de janeiro de 2016 | 13h05

Se já era incerto o futuro de André no Atlético-MG, agora ele se tornou ainda mais complicado após o atacante publicar uma foto na rede social Instagram usando o uniforme de treino do clube, mas com o escudo apagado. A ação foi interpretada pelos torcedores como desrespeitosa, o que provocou a ira dos atleticanos.

André tem contrato com o Atlético-MG até junho, mas dificilmente será aproveitado pelo técnico Diego Aguirre nesses últimos meses do seu vínculo, afinal, nem foi relacionado para a viagem aos Estados Unidos, onde o time vai disputar a Florida Cup, em duelos com o Schalke 04, na próxima quarta-feira, e o Corinthians, no próximo domingo.

O Corinthians, aliás, pode ser o próximo clube de André. O atacante despertou o interesse da equipe paulista, que precisa chegar a um acordo com o Atlético-MG para que a sua liberação ocorra imediatamente - ao fim do seu contrato, ele pode se transferir gratuitamente para qualquer time.

O Atlético-MG, porém, tenta aproveitar a atual janela de transferências para recuperar parte do alto investimento realizado na contratação de André. Além disso, liberá-lo nesse momento ao Corinthians significaria reforçar um potencial adversário na sequência da Copa Libertadores.

Desse modo, André segue fazendo parte do elenco do Atlético-MG, ainda sem ser aproveitado, o que, claro, não agrada ao jogador, o que pode explicar, em parte, a publicação do jogador no Instagram, logo apagada, diante da revolta provocada pelo "sumiço" do escudo do clube.

André não chegou a rebater os torcedores, mas a sua publicação seguinte na rede social - uma foto de uma senhora mandando um beijo com o recado "boa noite" - não ajudou a minimizar a ira dos torcedores. Pelo contrário, até as 12h30 desta terça-feira, já são mais de 11 mil comentários na foto, a maioria com uso de palavrões e ataques ao jogador.

Tamanha revolta contrasta com a passagem apagada de André pelo Atlético-MG. Contratado em julho de 2011, inicialmente por empréstimo, o atacante foi posteriormente adquirido por 8 milhões de euros. Mas o seu rendimento não correspondeu ao investimento.

André até foi titular no segundo semestre de 2011 e no primeiro de 2012, participando da conquista do título do Campeonato Mineiro, mas depois perdeu espaço com a chegada de Jô. Assim, foi emprestado a Santos e Vasco, em 2012 e 2013, mas sem brilhar por nenhum desses clubes.

De volta ao Atlético-MG em 2014, chegou a ser afastado do elenco por problemas disciplinares, e acabou sendo novamente emprestado em 2015, dessa vez ao Sport. No Recife, fez um bom Brasileirão, tendo marcado 13 gols, o que despertou o interesse de outros clubes. Novamente no Atlético-MG, André está encostado, com o futuro incerto e, agora, sendo alvo da ira dos seus torcedores.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolAtlético-MGAndré

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.