Gilvan de Souza/Flamengo
Gilvan de Souza/Flamengo

Com futuro indefinido, Diego elogia Bandeira de Mello e deseja boa sorte a Landim

Contrato do meia se encerra no meio de 2019 e sua permanência no clube não está garantida

Estadão Conteúdo

10 Dezembro 2018 | 13h26

Com futuro incerto, o meia Diego se manifestou nesta segunda-feira sobre as recentes movimentações políticas no Flamengo. O jogador fez elogios a Eduardo Bandeira de Mello, que está deixando o comando do clube, além de ter desejado boa sorte ao sucessor, Rodolfo Landim, eleito para a presidência no último fim de semana.

A situação de Diego está indefinida especialmente pelo pouco tempo para o encerramento do seu contrato, que chegará ao fim no meio da temporada. E também pesa para esse cenário o interesse de outros clubes, como o Santos, e também o fato de o meia não ter sido titular durante toda a temporada 2018.

Para Diego, Bandeira de Mello mudou o patamar do Flamengo no período em que esteve à frente do clube - foram dois mandatos, sendo que o primeiro se iniciou em 2013. E apontou que o dirigente deixa o clube com um legado, mesmo que o time não tenha conquistado os títulos de expressão desejado, com exceção da Copa do Brasil de 2013.

"Quero agradecer ao agora ex-presidente Eduardo Bandeira de Mello e toda sua equipe por esses seis anos de dedicação e profissionalismo. É verdade que nem todos os objetivos foram alcançados, mas uma coisa é certa: o Flamengo cresceu ainda mais e hoje está em um outro patamar. Não podemos ser injustos em não reconhecer o legado deixado por sua administração. Legado para o Flamengo", afirmou Diego em carta publicada no seu perfil no Instagram.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Fim de um mandato, continuação de um sonho! Como flamenguista que me tornei, hoje escrevo muito mais do que um atleta que aprendeu a amar este clube. Escrevo como torcedor. Quero agradecer ao agora ex-presidente Eduardo Bandeira de Mello e toda sua equipe por esses seis anos de dedicação e profissionalismo. É verdade que nem todos os objetivos foram alcançados, mas uma coisa é certa: o Flamengo cresceu ainda mais e hoje está em um outro patamar. Não podemos ser injustos em não reconhecer o legado deixado por sua administração. Legado para o Flamengo. Desejo de todo coração ao nosso novo presidente, Rodolfo Landim, o mesmo que desejei ao Eduardo Bandeira de Mello: muitas vitórias e conquistas, e que o senhor possa realizar todos os seus sonhos e objetivos como dirigente. E quando seu nome for gritado nos estádios, que seja para te enaltecer e reconhecer tudo de bom que fez por esse clube. Aconteça o que acontecer, governe quem governar a instituição, o Flamengo deve estar acima de tudo e de todos! No sábado, aplaudiram o Ricardo Lomba. Aplaudiram Rodolfo Landim. Aplaudiram o Flamengo, porque assim que tem que ser, com respeito e civilidade. No fim das contas, todos somos rubro-negros e trabalhamos pelo Flamengo. Que os interesses pessoais jamais estejam acima da instituição, e estejamos unidos por ela. Afinal, queremos o mesmo: o clube campeão. Exemplo não só fora, mas também dentro de campo. Obrigado, Bandeira de Mello. Boa sorte, Rodolfo Landim. Meus aplausos. #VamosFlamengo ⚫️

Uma publicação compartilhada por Diego Ribas da Cunha (@diegoribas10) em

O meia flamenguista também desejou sorte a Landim, candidato da oposição que venceu a eleição presidencial do clube no último sábado. "Desejo de todo coração ao nosso novo presidente, Rodolfo Landim, o mesmo que desejei ao Eduardo Bandeira de Mello: muitas vitórias e conquistas, e que o senhor possa realizar todos os seus sonhos e objetivos como dirigente. E quando o seu nome for gritado nos estádios, que seja para te enaltecer e reconhecer tudo de bom que fez por esse clube. Aconteça o que acontecer, governe quem governar a instituição, o Flamengo deve estar acima de tudo e de todos", escreveu.

Além disso, Diego elogiou o comportamento dos principais envolvidos na eleição do Flamengo, citando Ricardo Lomba, o candidato da situação derrotado por Landim. E pediu união aos principais nomes da vida política do clube para que o time possa voltar a conquistar títulos a partir da próxima temporada.

"No sábado, aplaudiram o Ricardo Lomba. Aplaudiram Rodolfo Landim. Aplaudiram o Flamengo, porque assim que tem que ser, com respeito e civilidade. No fim das contas, todos somos rubro-negros e trabalhamos pelo Flamengo. Que os interesses pessoais jamais estejam acima da instituição, e estejamos unidos por ela. Afinal, queremos o mesmo: o clube campeão", concluiu o meia do Flamengo.

Mais conteúdo sobre:
DiegoFlamengofutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.