Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

'Com Ganso, as coisas ficam mais fáceis', afirma Ceni após 0 a 0

Goleiro diz que São Paulo sentiu falta de seu principal armador

GONÇALO JUNIOR, Estadão Conteúdo

17 de setembro de 2015 | 21h57

O goleiro Rogério Ceni identificou um problema muito simples no empate por 0 a 0 entre São Paulo e Chapecoense, nesta quinta-feira, no estádio do Morumbi: a falta de Paulo Henrique Ganso. Sem o principal armador, fora do jogo por causa de uma lesão no joelho direito, o São Paulo praticamente não criou chances de gol e desperdiçou pontos importantes na briga pelo G4. "Com Ganso, as coisas ficam mais fáceis. Os jogadores que entraram têm características diferentes. A gente acaba sofrendo sem o Ganso", comentou o goleiro, que retornou à equipe após cinco jogos.

Embora o goleiro tenha citado a falta de Paulo Henrique Ganso como um dos fatores para o empate, o meia esteve presente na derrota para o Goiás e Ceará também no Morumbi. Resumidamente, a equipe tem muitas dificuldades diante de adversários que jogam retrancados.

Para o goleiro, o fato de não conseguir fazer um gol logo no início do jogo prejudicou o plano de jogo. "Quando a gente não faz o gol no começo, o time vai perdendo a confiança. Acho que não tivemos uma chance claríssima de gol. É uma pena. Ganhamos pontos importantes em Porto Alegre, mas perdemos no Morumbi", disse Rogério Ceni.

Para o zagueiro Rodrigo Caio, um dos melhores em campo, a postura da Chapecoense dificultou o jogo do São Paulo. "O Grêmio saiu para o jogo e conseguimos jogar de igual para igual. Foi um jogo muito diferente. É difícil jogar contra um time que vem retrancado. Eles vieram fechados e tudo ficou mais difícil", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.