Marcos de Paula/AE
Marcos de Paula/AE

Com gol anulado no fim, Flu empata com o líder Atlético-MG

Arbitragem não deu gol legal do atacante Fred e o placar ficou zerado no Engenhão

Leonardo Maia, Agência Estado

29 de julho de 2012 | 18h25

RIO - Em seu retorno ao Engenhão depois de deixar o Flamengo, Ronaldinho Gaúcho esperava comandar o líder Atlético-MG a abrir vantagem no topo da tabela do Brasileirão. Mas o meia-atacante e seus companheiros tiveram que se contentar com um empate sem gols com o Fluminense, terceiro colocado, neste domingo.

O resultado mantém os mineiros na liderança isolada, com 32 pontos, dois a mais que o vice-líder Vasco, que também ficou no 0 a 0 com o Internacional, sábado. O Fluminense segue atrás das duas equipes, com 26.

Na casa de um adversário direto na luta pelo caneco, em uma partida muito equilibrada, a igualdade foi um bom resultado para os visitantes, mesmo que pretendessem igualar recorde histórico do clube com oito vitórias consecutivas na competição.

Ainda mais a se considerar um erro da arbitragem nos minutos finais, que anulou lance legítimo de Fred que resultaria em gol. "A semana inteira trabalhando para acontecer isso aí. É brincadeira. Ele demorou muito para marcar, só levantou (a bandeira) depois de eu driblar o goleiro", bradou Fred.

"Fora de casa não podemos deixar de comemorar esse ponto, que nos mantém à frente do Vasco e do Fluminense", comentou o goleiro Victor, alheio à discussão.

No próximo sábado, os mineiros voltam ao Rio para encarar o destroçado Flamengo, no reencontro de Ronaldinho com seu ex-clube. O Fluminense visita o Coritiba, no domingo.

O JOGOEquívoco da arbitragem à parte, fato é que tanto tricolores quanto atleticanos pouco criaram em chances reais de gol, apesar de muita luta e vontade de vencer. A partida era brigada, truncada. O árbitro paulista Rodrigo Braghetto não colaborava ao marcar muitas disputas de bola como falta.

Quando o jogo conseguia fluir, bons lances ocorriam. Como tais momentos foram raros, os goleiros pouco trabalharam. Diego Cavalieri defendeu no susto a cabeçada de Jô, aos 32, depois de cobrança de falta ensaiada.

O time mandante chegou bem quando Fred inverteu papéis com Wellington Nem e cruzou para a cabeçada do baixo atacante. Victor fez grande intervenção. "Vou procurar abrir espaço para os companheiros, sair do meio para abrir para os companheiros", disse Ronaldinho, sobre a marcação individual de Digão.

"Estou tentando tirar os dois zagueiros lá de dentro da área. Puxar para o meio para o Nem e o Thiago Neves entrarem nas costas deles e marcar o gol", analisou Fred.

O segundo tempo começou quente. Fred parou em Victor, frente a frente com o goleiro atleticano. Imediatamente a resposta veio, mas Danilinho chutou para fora diante de Cavalieri. Mas a zaga atleticana estava firme, assim como Gum, que foi um monstro na defesa tricolor, vencendo o confronto particular com a revelação Bernard.

O lance capital do duelo veio aos 43. Deco lançou Fred em posição legal. O artilheiro esperou a definição de Victor e rolou para o gol vazio. Enquanto o tricolor comemorava, o árbitro percebia a tardia marcação de impedimento equivocada de Vicente Romano e anulava a jogada.

FICHA TÉCNICA

FLUMINENSE - Diego Cavalieri; Wallace (Wagner), Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Digão, Jean, Deco e Thiago Neves (Marcos Júnior); Wellington Nem e Fred. Técnico: Abel Braga.

ATLÉTICO-MG - Victor; Marcos Rocha (Serginho), Leonardo Silva, Réver e Junior Cesar; Pierre, Leandro Donizete, Ronaldinho Gaúcho, Bernard (Escudero) e Danilinho (Guilherme); Jô. Técnico: Cuca.

CARTÕES AMARELOS - Wallace; Danilinho, Junior Cesar, Pierre.

ÁRBITRO - Rodrigo Braghetto (SP).

RENDA - R$ 368.345,00.

PÚBLICO - 16.175 pagantes (19.761 no total).

LOCAL - Estádio Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.