Cesar Greco/Agência Palmeiras
Cesar Greco/Agência Palmeiras

Com gol de garoto da base, Palmeiras bate a Ponte Preta e está na decisão do Paulistão

Patrick de Paula garante a vitória e equipe alviverde pode acabar com jejum de título do Estadual justamente sob o comando do último técnico campeão paulista pelo clube

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

02 de agosto de 2020 | 20h55

O Palmeiras derrotou a Ponte Preta neste domingo por 1 a 0 e está novamente na final do Campeonato Paulista. Outra vez terá o Corinthians pela frente, que pouco antes derrotou o Mirassol. O último encontro em uma decisão foi em 2018 e deu o rival alvinegro, em um clássico que causou polêmica, em razão da arbitragem. E quis o destino que o treinador palmeirense nesta temporada fosse justamente quem comandou a equipe no último título estadual, em 2008: Vanderlei Luxemburgo.

Para manter as coincidências e animar os torcedores que gostam de superstição, o adversário da semifinal foi o mesmo que o Palmeiras enfrentou na final em 2008. A Ponte Preta lutou e 'vendeu caro' a derrota, mas novamente não conseguiu superar o rival alviverde. 

Em um Allianz Parque vazio, mas com muitas bandeiras nas arquibancadas e gritos de torcidas nas caixas de som, o Palmeiras foi melhor durante toda a partida e mereceu a vitória, sem contestação. Em um elenco cheio de grandes nomes e jogadores que seriam titulares na maioria dos clubes brasileiros, quem fez a diferença foi Patrick de Paula, garoto de apenas 20 anos, que começou 2019 na base alviverde, mas conseguiu conquistar seu espaço e caiu nas graças de Luxemburgo. 

Antes de Patrick fazer a diferença, o Palmeiras teve boas chances com Rony e Willian, mas os atacantes pararam nas mãos do goleiro Ivan. Gustavo Gómez chegou a acertar um cabeceio na trave, após cobrança de escanteio em sua cabeça. 

Parecia que a primeira etapa ficaria no 0 a 0, quando Patrick recebeu na frente da área e chutou. A bola desviou na zaga e enganou Ivan. O Palmeiras abriu o placar e se aproximou da final. 

Na etapa final, a Ponte decidiu sair do campo de defesa para tentar achar um gol e pelo menos levar a decisão para os pênaltis. O Palmeiras sentiu e Luxemburgo decidiu colocar Zé Rafael e Bruno Henrique, para voltar a ter mais a bola no pé e evitar surpresas. 

O tempo ia passando e a ansiedade dos jogadores da Ponte aumentavam. Consequentemente, os erros de passe também, o que facilitou a vida dos palmeirenses. O time de Luxa voltou a ter a bola no pé e abrir espaço para chegar ao gol. Aos 24, Zé Rafael chutou, Bruno Henrique desviou e Ivan fez uma grande defesa. Ainda havia esperança para a equipe de Campinas. 

Em um contra-ataque rápido da Ponte, Roger aproveitou cruzamento e finalizou em cima do goleiro Weverton, na única oportunidade real da equipe em empatar a partida. Scarpa ainda carimbou a trave em chute de fora da área, mas a chance perdida não fez falta. O Palmeiras conseguiu passar para a decisão e se aproxima de acabar com o jejum de 12 anos sem o título do Paulistão.

FICHA TÉCNICA

Palmeiras: Weverton; Marcos Rocha, Felipe Melo (Luan), Gómez e Diego Barbosa; Gabriel Menino (Gustavo Scarpa), Patrick de Paula, Ramires (Bruno Henrique), Rony (Lucas Lima) e Willian (Zé Rafael); Luiz Adriano. Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Ponte Preta: Ivan; Apodi (Bruno Reis), Wellington Carvalho, Trevisan e Guilherme Lazaroni; Dawhan (Danrlei), Jeferson (Moisés), Zanocelo (Osman) e João Paulo; Bruno Rodrigues e Roger (Safira). Técnico: João Brigatti

Gol: Patrick de Paula, aos 45 minutos do 1º Tempo

Cartões amarelos: Felipe Melo, Guilherme Lazaroni, Trevisan, Danrlei e João Paulo

Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza 

Local: Allianz Parque

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.