Tiziana Fabi|AFP
Tiziana Fabi|AFP

Juventus bate Milan na prorrogação e fatura a Copa da Itália

Alvaro Morata decide o jogo na 2ª etapa do tempo extra

Estadão Conteúdo

21 de maio de 2016 | 19h21

A Juventus venceu o Milan por 1 a 0, neste sábado, no Estádio Olímpico de Roma, e conquistou a Copa da Itália pela 11.ª vez na história. Morata saiu do banco de reservas no segundo tempo da prorrogação para marcar o gol do título do time de Turim, que vem dominando o futebol do seu país nos últimos anos.

Com a conquista, a Juventus entra para a história ao se tornar a primeira equipe a conquistar os títulos do Campeonato Italiano e da Copa da Itália por dois anos consecutivos. O Milan, por sua vez, fechou sua terceira temporada seguida sem ir a um torneio continental - a classificação para a Liga Europa poderia ser alcançada com o título neste sábado.

A partida iniciou com domínio do Milan no campo de ataque, mas com pouca eficiência para criar jogadas de gol. Na primeira etapa, Bonaventura, De Sciglio e Poli tiveram chances, mas mandaram longe do gol defendido pelo brasileiro Neto, titular da Juventus que deixou o veterano Buffon no banco de reservas na Copa da Itália.

Já na segunda etapa, a Juventus conseguiu se desvencilhar da marcação e quase abriu o placar. Dybala arrancou com a bola e acionou Mario Lemina, que cruzou para a área com perigo, mas o goleiro Donnaruma se antecipou e mandou para longe. Aos 23, Pogba tentou cruzar para a área, mas um desvio no caminho obrigou o goleiro do Milan a fazer nova boa defesa.

Na prorrogação, as duas equipes demonstraram os sinais do cansaço e o jogo ficou aberto. Pelo Milan, o erro foi de Montolivo. Ele entregou a bola ao adversário Pogba, que chutou forte de fora da área, mas Donnaruma espalmou. Em seguida, foi a vez da Juventus levar um susto. Alex Sandro falhou ao tentar cortar e Bacca tentou uma meia-bicicleta, mas a bola saiu por cima do gol.

Após quase 120 minutos de jogo, o técnico Massimiliano Allegri resolveu tirar o brasileiro Hernanes para a entrada de Morata. A substituição teve efeito imediato, pois o primeiro lance do atacante foi um chute de primeira para o gol e título da Juventus em Roma.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.