Gustavo Oliveira/Divulgacao
Gustavo Oliveira/Divulgacao

Com gol de Walter, Atlético-PR supera o Flu no Maracanã

Ex-jogador do tricolor carioca marcou o único gol da partida 

LUCIANO PÁDUA, ESPECIAL PARA A AE, Estadão Conteúdo

24 de outubro de 2015 | 19h24

O Atlético-PR derrotou o Fluminense por 1 a 0, neste sábado, no Maracanã, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. Mesmo com maior domínio da partida, o time tricolor não foi eficiente nas finalizações e acabou levando um gol de seu ex-atacante Walter, em lance de contra-ataque. Com 40 pontos, o Fluminense caiu para a 13ª posição. Após a vitória, o Atlético-PR chega a 42 pontos, na 11ª colocação.

As equipes voltam a campo na próxima semana. O Fluminense joga na quarta-feira, às 22 h, contra o Palmeiras, no Allianz Parque, pela segunda partida da semifinal da Copa do Brasil. O Atlético-PR vai a Luque, no Paraguai, para enfrentar o Sportivo Luqueño pela segunda partida das quartas de final da Copa Sul-Americana.

O Fluminense começou a partida exercendo seu papel de mandante. Aos 4 minutos, Wellington cruzou na medida para Osvaldo, que cabeceou bem no cantinho e Weverton fez bela defesa. No minuto seguinte, Osvaldo bateu forte de fora da área e a bola raspou na trave direita do Atlético. Após a pressão inicial, os visitantes passaram a ter mais posse de bola, mas não conseguiram criar lances de perigo.

Aos 15, Otávio arriscou na intermediária, a bola desviou em Cícero e Cavalieri espalmou para escanteio. Aos 21, Vinicius recebeu belo passe cara a cara com Weverton, que saiu com rapidez e bloqueou o chute do jogador tricolor. Na sequência, a bola sobrou com Gustavo Scarpa, que limpou a zaga e bateu colocado. Novamente, o goleiro do Atlético-PR fez grande defesa. Logo depois, aos 24, Cícero chutou forte de fora e Weverton espalmou.

O Fluminense dominou o restante do primeiro tempo e mostrou que tinha muito mais poder ofensivo que o clube paranaense. O goleiro Weverton se destacou pela grande participação, evitando que o Atlético fosse para o intervalo em desvantagem no placar.

Na segunda etapa, os mandantes demonstraram que não perderam o ânimo no jogo. No primeiro minuto, Weverton salvou ao interceptar um cruzamento na área antes que os tricolores pudessem finalizar. O jogo seguiu disputado e o Atlético chegou pela primeira vez aos 13 minutos. Marcos Guilherme recebeu pela esquerda em contra-ataque, se livrou do marcador, mas, na frente de Diego Cavalieri, e praticamente recuou para o goleiro.

Apesar de atuar melhor, não foi o time tricolor carioca que marcou o primeiro gol. O Atlético-PR foi eficiente e abriu o placar aos 14 minutos. Marcos Guilherme lançou Walter pelo alto, livre dentro da área. O atacante cabeceou com categoria no canto, deslocando o goleiro Diego Cavalieri e fazendo o primeiro gol do jogo.

Depois do gol, o Fluminense se lançou ao ataque de forma desorganizada, o que culminou em lances sem perigo para o Atlético. Em vantagem, os visitantes aproveitavam o despreparo dos adversários para administrar o jogo. O clube tricolor caiu de produção, se tornou menos agressivo e foi incapaz de reverter o resultado. Aos 49, Weverton se consagrou como herói da partida ao interceptar um cruzamento que encontraria Wellington Paulista livre dentro da área.

FICHA TÉCNICA

FLUMINENSE 0 X 1 ATLÉTICO-PR

FLUMINENSE - Diego Cavalieri; Wellington Silva, Gum, Marlon e Ayrton; Jean, Cícero, Gustavo Scarpa, Vinícius (Gerson) e Osvaldo (Marcos Júnior); Magno Alves (Wellington Silva). Técnico: Eduardo Baptista.

ATLÉTICO-PR - Weverton; Eduardo, Christián Vilches, Kadu e Roberto; Otávio, Bruno Pereirinha (Sidcley) e Bruno Mota (Hernani); Nikão (Daniel Hernández), Marcos Guilherme e Walter. Técnico: Cristovão Borges.

GOL - Walter, aos 14 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Marcos Junior (Fluminense); Otávio, Marcos Guilherme e Walter (Atlético-PR).

ÁRBITRO - Luiz Flávio Pereira (SP).

PÚBLICO - 8.985 presentes (7.012 mil pagantes)

RENDA - R$ 225.320,00.

LOCAL - Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.