Com gol legal anulado, Cruzeiro só empata com Criciúma fora de casa

Mesmo com o tropeço em Santa Catarina, time mineiro mantém a liderança do Campeonato Brasileiro, com 30 pontos conquistados

Rafael Thomé, Estadão Conteúdo

09 de agosto de 2014 | 20h50

Jogo truncado, com poucas chances e arbitragem polêmica. Assim foi o empate por 0 a 0 entre Criciúma e Cruzeiro, neste sábado, no estádio Heriberto Hülse, em Santa Catarina, válido pela 14.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Preocupado com a qualidade do adversário, o time da casa marcou forte no meio de campo e se limitou a especular saídas ao ataque com o experiente Paulo Baier. Do outro lado, o líder da Série A se viu preso no esquema montado pelo técnico Wagner Lopes, mas ainda assim, para reclamação dos jogadores, teve dois gols anulados pelo árbitro, um de forma duvidosa, o outro de maneira errada.

Mesmo com o empate, o Cruzeiro segue na liderança, com 30 pontos. Já o Criciúma sobe uma posição e é, temporariamente, o 12.° colocado com 16 pontos. Na próxima rodada, o clube catarinense vai à Porto Alegre, onde enfrenta o Grêmio, enquanto os mineiros recebem o Santos. As duas partidas serão no domingo (17), às 16h.

O JOGO
Com a trinca de volantes à frente da zaga, o Criciúma bloqueou as principais ações ofensivas do Cruzeiro, que demorou a levar perigo no primeiro tempo. Enquanto, os visitantes procuravam soluções para se livrar da marcação, o time da casa aproveitava a qualidade de Paulo Baier nas bolas paradas e a determinação do estreante Gustavo. Aos oito minutos, o atacante recebeu de Serginho dentro da área e mirou o canto, mas a bola morreu na rede pelo lado de fora.

O Cruzeiro chegou pela primeira vez somente aos 18 minutos. Após cobrança de falta e bate-rebate na área, a bola sobrou para Marquinhos, que empurrou para o gol, mas o árbitro assinalou falta do ataque celeste. O lance animou os mineiros. Aos 24, Mayke cruzou na área, Goulart e Marcelo Moreno tiveram a chance de abrir o placar, mas se atrapalharam e desperdiçaram a melhor oportunidade da etapa inicial.
" STYLE="FLOAT: LEFT; MARGIN: 10PX 10PX 10PX 0PX;

Treze minutos após o intervalo, o ritmo de jogo manteve-se o mesmo e o técnico Marcelo Oliveira sentiu a necessidade de dar maior movimentação ao Cruzeiro, colocando Willian no lugar de Marquinhos. A mudança surtiu efeito. No ataque seguinte à substituição, Éverton Ribeiro fez grande jogada na entrada da área, se livrou de Serginho e bateu na trave. No rebote, o árbitro assinalou impedimento de Willian quando este completava para o gol, mas o jogador saiu atrás da linha da bola.

Wagner Lopes respondeu e não demorou para tirar Paulo Baier e mandar o jovem Lucca a campo. Aos 21 minutos, o atacante cobrou falta na área, Fábio deu rebote e João Vitor bateu de primeira, mas a bola parou na zaga celeste. A cinco minutos do final, o Criciúma teve a última chance da partida. Após cobrança de falta ao lado da marca de escanteio, Serginho subiu mais alto que a defesa, mas cabeceou para fora. Apito final para um empate morno em Santa Catarina.

FICHA TÉCNICA

CRICÚMA 0 X 0 CRUZEIRO

CRICIÚMA - Luiz; Eduardo, Fábio Ferreira, Gualberto e Giovanni; Serginho, Martinez, João Vitor e Paulo Baier (Lucca); Silvinho (Ricardinho) e Gustavo (Danilo Alves). Técnico: Wagner Lopes.

CRUZEIRO - Fábio; Mayke, Dedé, Léo e Egídio; Nilton, Lucas Silva (Dagoberto), Éverton Ribeiro, Ricardo Goulart e Marquinhos (William); Marcelo Moreno (Alisson). Técnico: Marcelo Oliveira.

CARTÕES AMARELOS - Martinez (Criciúma); Léo (Cruzeiro).

ÁRBITRO - Jailson Macedo Freitas (BA).

PÚBLICO - 9.646 pagantes.

RENDA - R$ 136.90,00.

LOCAL - Estádio Heriberto Hülse, em Criciúma (SC).

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoCruzeiroCriciúma

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.