CHRISTOPHE PETIT TESSON/ EFE
CHRISTOPHE PETIT TESSON/ EFE

Com gol, Neymar estreia pelo PSG formando dueto com Cavani

Craque vestiu pela primeira vez a camisa do clube parisiense, que abriu o marcador com gol contra bizarro de defensor; referência técnica, brasileiro já fez a diferença com bom entendimento com atacante uruguaio

Andrei Netto, enviado especial a Guingamp, O Estado de S. Paulo

13 de agosto de 2017 | 18h04

Com arrancadas, tabelas, dribles, assistência e gol, Neymar descobriu neste domingo, 13, a realidade do Campeonato Francês. Jogando pela primeira vez com a camisa do Paris Saint-Germain (PSG) em um pequeno caldeirão com capacidade para 18 mil torcedores entusiasmados, o craque brasileiro foi a maior atração de um jogo marcado pela retranca do adversário, o modesto Guingamp. Como referência técnica do time, o brasileiro demonstrou excelente entrosamento com Cavani, com quem construiu a vitória por 3 a 0.

Principal atração em um time milionário, Neymar não demorou a mostrar porque se tornará rapidamente uma peça incontornável na engrenagem do PSG. Como na temporada 2016-2017, o clube de Paris demonstrou bom toque de bola, mas voltou a mostrar os problemas de objetividade da equipe de Unai Emery.

Neymar pareceu decidido a mostrar a que veio, depois da transação de € 222 milhões (R$ 820 milhões), que o tornou o jogador mais caro da história. Já aos 22 segundos de jogo, o brasileiro lançou Di Maria, deixando-o na frente do goleiro, em condições de marcar – o argentino desperdiçou. Aos poucos, diante de um adversário muito retrancado, que jogava com os 11 no campo de defesa e no contra-ataque, o PSG começou a impor seu jogo de toques rápidos e curtos, demonstrando bom entrosamento para furar a marcação do Guingamp.

Diante de um adversário fechado, Neymar demorou um pouco a encontrar seu espaço. Não raro, teve diante de si três marcadores que se revezavam, seguindo à risca a orientação de marcação sob pressão dada pelo experiente técnico Antoine Kombouaré. Caindo do centro à esquerda do ataque, Neymar foi aos poucos se soltando em campo. Aos 19, tentou o chute da meia-lua, mas mandou por cima, sem perigo para o goleiro Johnsson. Quatro minutos depois, aplicou uma janelinha no adversário. Aos 34, cruzou na medida para outro brasileiro, Marquinhos, que mergulhou e mandou de cabeça no travessão, na melhor oportunidade do primeiro tempo.

O PSG então deu a impressão de que apertaria mais, tendo outra oportunidade, desta vez de falta, em boa cobrança de Cavani. Na sequência, Neymar invadiu a área, driblou dois defensores, mas demorou a chutar e acabou travado por Etienne Didot, que segurou sua camisa. O brasileiro caiu e pediu pênalti, que o árbitro não marcou. Aos aos 43, Neymar fez lançamento rasteiro magistral para Daniel Alves, que invadiu a área mas deixou a bola escapar, perdendo o tempo do chute e desperdiçando a oportunidade. 

Então ficou claro que a criação do PSG já passa por Neymar, que se movimenta intensamente entre o centro e a esquerda do ataque, distribuindo passes para Di Maria e Cavani e para arrancadas surpresas de Daniel Alves.

O segundo tempo começou com o brasileiro pedindo jogo. Aos 2, deu balãozinho no adversário. Com fome de jogo, Neymar se movimentou muito, partindo da defesa com a bola dominada em direção à área adversária. Mas, apesar do esforço, o primeiro gol do PSG surgiu de um lance bizarro do Guingamp. Aos 7, Ikoko marcou contra. O defensor congolês recebeu passe dentro da área, e, assediado por Neymar, recuou com um chute no canto direito do goleiro Johnsson, que tentou alcançar, mas não impediu o vexame.

Com a vitória parcial o PSG se soltou. Neymar, ainda mais livre para se movimentar, invadiu a área aos 12, e foi desarmado no momento do chute. Aos 16, recebeu de Thiago Silva no campo de defesa, avançou e deu assistência perfeita, em profundidade para Cavani desviar do goleiro, com categoria, fazendo o segundo do PSG.

O entendimento com o atacante uruguaio foi a melhor notícia da noite. Esse entrosamento ficou ainda mais claro quando Cavani invadiu a área pela esquerda e tocou no centro, próximo à pequena área, para Neymar desviar e marcar seu primeiro gol pela nova equipe. No dia em que Barcelona e Real Madrid entraram em campo na disputa pela Supercopa da Espanha, o astro brasileiro deixou claro que está pronto a formar novas parcerias em Paris.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.