Com gol no começo, Grêmio surpreende Atlético-PR em Curitiba

Medalhista de ouro no Rio-2016, Weverton não evita quarta derrota seguida do rubro-negro

Felipe Rosa Mendes, O Estado de S.Paulo

24 Agosto 2016 | 23h05

Em sua estreia na Copa do Brasil, o Grêmio aproveitou o momento desfavorável do Atlético Paranaense na temporada e tratou de abrir vantagem no jogo de ida das oitavas de final, na noite desta quarta-feira. Jogando na Arena da Baixada, o time gaúcho venceu por 1 a 0, com gol de Bolaños, e ficou em situação tranquila para buscar a vaga nas quartas.

Para este jogo, o Grêmio contou com os reforços dos campeões olímpicos Luan e Walace. O Atlético, por sua vez, teve o goleiro Weverton, que até recebeu homenagem da diretoria atleticana no intervalo da partida.

Weverton, contudo, não conseguiu evitar a quarta derrota seguida do Atlético no ano, contando também jogos do Brasileirão. Em nenhuma destas partidas, o time balançou as redes. Curiosamente, o time negociou o atacante Walter com o Goiás, na semana passada. Ao fim da partida, a torcida paranaense vaiou a equipe e proferiu ofensas contra a diretoria.

Com o triunfo desta quarta-feira, o Grêmio avança às quartas de final com um empate na partida da volta, em Porto Alegre. O jogo está marcado somente para o dia 21 de setembro.

O JOGO

O duelo de ida do confronto foi disputado na Arena da Baixada, mas no primeiro tempo o Grêmio parecia jogar em casa. Com uma formação mais ofensiva, tinha Bolaños, Douglas e Luan na frente, enquanto Ramiro, um dos três volantes em campo, atuava mais próximo do trio de ataque.

Assim, controlou a posse de bola desde o início e assustava no ataque ao acelerar o jogo a partir do meio-campo. Como consequência, aos 6 minutos, a torcida visitante já gritava "gol" em Curitiba. O gol surgiu em belo passe de letra de Douglas, que colocou Bolaños cara a cara com Weverton. O equatoriano não perdoou e bateu na saída do goleiro campeão olímpico.

O gol precoce deixou o Grêmio à vontade em campo. Trocava passes com rapidez no ataque e sabia ter tranquilidade na defesa. O Atlético praticamente não ameaçou o rival na etapa inicial. Mal chegou ao ataque e nem conseguiu entrar na área gremista. O domínio dos visitantes era total.

Para piorar, o Atlético ainda levava sustos constantes na defesa. Numa das melhores oportunidades do Grêmio no primeiro tempo, Douglas acertou bom passe para Ramiro, que bateu cruzado da esquerda, mandando rente à trave esquerda de Weverton, aos 40 minutos.

Diante das limitações do Atlético no meio-campo, Paulo Autuori sacou Galhardo e Marcos Guilherme e colocou Juninho e João Pedro em campo para o segundo tempo. E a mudança foi visível. Com outra postura, o time da casa foi para cima e impôs pressão nos primeiros minutos. Aos 4, Luan já tinha acertado de primeira chute pela esquerda, para fora.

O Grêmio também foi para o ataque, com o objetivo de matar o jogo. E o confronto ganhou em equilíbrio. O Atlético, porém, era superior na etapa final. Marcelo Grohe, desta vez, precisou trabalhar. Aos 31 minutos, fez a melhor defesa da partida ao espalmar cabeçada de André Lima, após cruzamento preciso de Sidcley.

Nos minutos finais, Luan, do Grêmio, teve duas chances incríveis para anotar o segundo gol. Aos 42, mandou nas redes pelo lado de fora. E, aos 45, disparou pela direita e, ao tentar mandar por cobertura sobre Weverton, mandou para fora. O sufoco que o Atlético levou nos minutos finais só terminou quando o árbitro apitou pela última vez.

Mais conteúdo sobre:
futebol gremio atletico-pr Copa do Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.