Bruno Cantini/ Divulgação
Bruno Cantini/ Divulgação

Com gol no fim, Atlético vence Cruzeiro e vai à decisão do Mineiro

Argentino Lucas Pratto é o herói atleticano na semifinal

LEONARDO AUGUSTO, Estadão Conteúdo

19 de abril de 2015 | 19h09

Em jogo marcado por grande atuação de jogadores estrangeiros, o Atlético venceu o Cruzeiro de virada por 2 a 1, neste domingo, no Mineirão, e está na final do Campeonato Mineiro. O uruguaio Arrascaeta abriu o placar para o time da Toca da Raposa. O argentino Lucas Pratto fez os dois da equipe atleticana. O time agora aguarda a partida entre Caldense e Tombense, em Poços de Caldas, para saber qual adversário enfrentará na final.

O Cruzeiro foi prejudicado por erro da arbitragem em lance envolvendo o zagueiro atleticano Ed Carlos e o atacante Leandro Damião. Em uma dividida perto da área alvinegra já no final do segundo tempo, Edcarlos acertou um chute no olho esquerdo do adversário, que começou a sangrar. O juiz não marcou a falta. Depois de atendimento médico, o Atlético avançou com Guilherme, que lançou para Lucas Pratto, que marcou de cabeça aos 43 minutos do segundo tempo.

Foi a primeira vez depois de nove anos que os dois times se enfrentaram em uma semifinal do Campeonato Mineiro. Em todos os outros anos desde então, as duas equipes duelaram nas decisões da competição. Na partida deste domingo, o Cruzeiro não apresentou os mesmos erros na zaga como na derrota por 3 a 1 para o Huracán, em Buenos Aires, na terça-feira, pela Libertadores. O gol de Arrascaeta foi aos 11 minutos do primeiro tempo. Willian evitou a saída da bola na direita e cruzou da direita. Alisson cabeceou e Victor defendeu. No rebote, o uruguaio empurrou para as redes.

O Atlético apostava nas bolas altas na área adversária, sem sucesso. Aos 30 minutos, Carlos cabeceou forte depois de escanteio cobrado pelo também argentino Datolo, mas a bola foi para fora. Em outra jogada por cima, aos 47, Edcarlos, em outra cabeçada, por pouco não marcou. A bola raspou a trave esquerda de Fábio. Sem conseguir o empate, que ainda assim levaria o Cruzeiro à final - o time fez melhor campanha na fase inicial do Mineiro - o Atlético retornou para o segundo tempo com Guilherme no lugar de Leandro Donizete.

A mexida surtiu efeito. Aos 9 minutos, Guilherme lançou Pratto. A bola desviou na zaga e o jogador argentino pegou de primeira, no meio do gol, mas, pela força do chute, sem chances de defesa para Fábio. O Cruzeiro não sentiu o empate. As duas equipes continuaram com boas chances de gol. Aos 26, no entanto, Fabiano foi expulso depois de cotovelada em Carlos. Para fortalecer a marcação, o técnico Marcelo de Oliveira tirou Arrascaeta e colocou o lateral-direito Myke. 

Aos 30 minutos, os cruzeirenses tiveram nova chance, com cabeçada de Leo em cruzamento de Marquinhos. A bola passou à esquerda de Victor, no último lance de perigo do Cruzeiro antes da virada do Atlético.

Com a vitória, além da vaga na final do Campeonato Mineiro, o Atlético assegurou ainda a invencibilidade diante de seu principal rival. O time da Toca não venceu alvinegros em 2015 - dois empates e uma derrota pelo Mineiro. No ano passado, os atleticanos venceram a Copa do Brasil na final contra o Cruzeiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.