Franck Fife/AFP
Franck Fife/AFP

Com gol no final, Di María salva o PSG em empate contra o Napoli

Em dia pouco inspirado de Neymar, argentino marca aos 48 minutos do segundo tempo e mantém a equipe francesa invicta na temporada

O Estado de S.Paulo

24 Outubro 2018 | 18h26

Paris - O Paris Saint-Germain, com seu elenco estrelado e milionário, perdia em casa nesta quarta-feira e estava se complicando muito na fase de grupos da Liga dos Campeões da Europa. Aos 47 minutos do segundo tempo apareceu o salvador da pátria, que desta vez não foi Neymar, Cavani ou Mbappé. Coube ao argentino Di María marcar o gol do empate por 2 a 2 contra o Napoli, em pleno estádio Parque dos Príncipes, em Paris, pela terceira rodada do Grupo C.

O ponto conquistado nos últimos minutos evitou que o Paris Saint-Germain ficasse em situação muito difícil na chave, com sério risco de eliminação ainda na fase de grupos. Com a vitória, o Napoli estava subindo para sete pontos, contra seis do Liverpool - que goleou o lanterna Estrela Vermelha, da Sérvia, por 4 a 0, na Inglaterra - e três dos franceses. O empate ainda o mantém na terceira colocação com quatro pontos, mas bem mais perto dos italianos, em segundo com cinco.

Daqui duas semanas, no dia 6 de novembro, os duelos terão mando de campo invertido e o Paris Saint-Germain terá de buscar a vitória contra o Napoli no estádio San Paolo, em Nápoles, para seguir com boas chances de classificação. Na Sérvia, o Liverpool tentará manter a liderança da chave contra o Estrela Vermelha, que até agora só somou um ponto.

Em campo, o Paris Saint-Germain começou na base da pressão e criou duas boas chances nos primeiros minutos. Em uma delas, a afobação foi tanta que Cavani chutou o tornozelo de Neymar ao invés da bola e o atacante brasileiro teve de ser atendido fora de campo. Voltou mancando e, bem marcado, não teve espaço para fazer suas jogadas.

O Napoli, bem postado no esquema 4-4-2, começou a ganhar terreno e passou a ameaçar com o trio ofensivo formado por Callejón, Insigne e Mertens. Aos 29 minutos, os dois primeiros fizeram a jogada do gol inaugural do jogo. O espanhol fez o lançamento na entrada da área, nas costas do zagueiro Kimpembe e o italiano tocou por cobertura na saída de Aréola.

O Paris Saint-Germain só conseguiu melhorar depois de uma boa conversa com o técnico alemão Thomas Tuchel no intervalo. Marcando pressão na saída de bola italiana, o gol de empate saiu aos 16 minutos. Meunier recebeu livre pela direita e cruzou rasteiro. O lateral-esquerdo português Mário Rui fez o corte de carrinho, mas a bola foi direto para as redes, deixando o goleiro Ospina sem reação.

Mas se enganou quem achou que o Napoli iria se fechar ainda mais, se contentando com o empate. O time italiano buscou o toque de bola rápido e assim chegou ao segundo gol. Aos 32 minutos, Fabián Ruiz chutou de fora da área, mas a bola bateu em Marquinhos no caminho e ficou para o belga Mertens bater no canto esquerdo de Areola.

A partir daí, o Napoli se colocou em uma posição mais defensiva para buscar os contra-ataques e até teve uma chance. O Paris Saint-Germain foi todo ao ataque e teve a recompensa aos 47 minutos. Neymar avançou em velocidade pela esquerda e tocou para o meio. A bola chegou para Di María na entrada da área, pelo lado direito, e o argentino a chutou com curva no canto direito de Ospina, salvando os franceses da derrota.

GOLEADA - Na Inglaterra, o Liverpool não encontrou dificuldade alguma para golear o Estrela Vermelha por 4 a 0. Depois de pressionar e ter mais posse de bola, o clube inglês conseguiu abrir o placar aos 20 minutos. Após jogada pela esquerda, a bola chegou na marca do pênalti para Roberto Firmino, que tirou um zagueiro da jogada e chutou forte no meio do gol.

Com a vantagem, o Liverpool pode jogar com mais tranquilidade e as chances foram aparecendo. O Estrela Vermelha pouco incomodava os ingleses e o segundo gol saiu pouco antes do intervalo. Aos 45 minutos, após jogada pela direita, Salah apareceu livre na entrada da área. O egípcio recebeu e bateu forte e colocado no ângulo esquerdo do goleiro Milan Borjan.

Na segunda etapa, o Liverpool claramente se poupou com a vitória praticamente garantida. Logo aos cinco minutos, o time inglês teve um pênalti a seu favor - Filip Stojkovic puxou o atacante Sadio Mané dentro da área. Salah cobrou com perfeição. Na parte final, o clube inglês teve mais uma penalidade a favor, aos 32, mas desta vez Mané perdeu. Três minutos depois, o senegalês se recuperou, fez o seu e garantiu a goleada, que garantiu a liderança do grupo.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.