Richard Callis/Fotoarena
Richard Callis/Fotoarena

Com gol polêmico, Corinthians leva virada do Cruzeiro e vê G-4 ameaçado

Zaga alvinegra parou no lance após impedimento marcado pelo auxiliar, mas árbitro mandou seguir e equipe mineira garantiu a vitória por 2 a 1

João Prata, O Estado de S.Paulo

19 de outubro de 2019 | 21h04

O Corinthians perdeu de virada para o Cruzeiro por 2 a 1 neste sábado e aumentou para cinco jogos o jejum de vitórias no Campeonato Brasileiro. O gol que sacramentou a derrota revoltou os jogadores do time paulista e custou a expulsão de Fábio Carille.

Isso porque o auxiliar marcou impedimento no início da jogada e a zaga corintiana parou. O árbitro Bruno Arleu de Araujo mandou seguir pois o "passe" saiu dos pés de Fagner. O atacante cruzeirense Éderson avançou com tranquilidade, driblou Walter e marcou. Carille ficou revoltado e entrou na beirada do campo para questionar a arbitragem. Os jogadores também tumultuaram pedindo a anulação do gol e o técnico corintiano levou o vermelho.

A derrota ofuscou o gol 11 mil da história do clube, anotado por Fagner, e pode custar a vaga no G-4 da tabela. O Corinthians permanece com 44 e pode ser ultrapassado pelo São Paulo, que tem 43, e recebe o Avaí neste domingo. O Cruzeiro respira aliviado com a vitória, pois deixou a zona de rebaixamento da competição - é o 16º colocado com 28 pontos, dois à frente do Ceará, o 17º.

Em campo, Carille tentou novamente colocar o time ao ataque. Ele manteve o ataque do último jogo com Pedrinho, Gustagol e Janderson e somente Ralf na marcação do meio-campo. O primeiro tempo foi equilibrado no duelo entre duas equipes com propostas diferentes. O Cruzeiro cadenciava mais o jogo, tocava mais a bola, tinha mais paciência na criação das jogadas. O Corinthians buscava mais a velocidade pelas pontas, tentava ser objetivo com a bola nos pés. Fred, de um lado, e Gustagol, do outro, tentavam incomodar os zagueiros. O primeiro se antecipou aos zagueiros e assustou Walter. O outro recebeu cruzamento livre e só não mandou a bola para a lateral, porque o chute saiu fraco.

O Corinthians abriu o placar após roubada de bola no meio-campo. Gustagol desviou no meio da área e a bola sobrou para os pés de Fagner, que bateu cruzado para abrir o marcador. Foi o gol 11 mil da história do clube e de um jogador improvável. O lateral-direito não marcava desde 2016. Mas não deu muito tempo para comemorar. Quatro minutos depois, Marquinhos Gabriel cabeceou e a bola bateu no braço de Bruno Méndez. O VAR assinalou pênalti. Fred bateu colocado e empatou para o Cruzeiro.

O Cruzeiro parecia satisfeito com o empate na etapa final e passou a marcar somente em seu campo de defesa. O Corinthians voltou ligado e quase abriu o placar em chute de Pedrinho, que Fábio fez grande defesa e mandou para escanteio. Na sequência, Mateus Vital aproveitou cruzamento e mandou para as redes, mas o árbitro assinalou falta de Marllon em Fred no início da jogada.

Janderson também começou a aparecer para a partida em jogadas pelo lado esquerdo. Mas quem surpreendeu foi o Cruzeiro. Em uma disputa de bola, Fagner mandou para o campo de defesa, a zaga corintiana parou, Éderson recebeu livre, passou por Walter e fez. O time corintiano ficou revoltado com o lance, pois o bandeirinha e Carille foi expulso.

FICHA TÉCNICA:

CORINTHIANS 1 X 2 CRUZEIRO

CORINTHIANS - Walter; Fagner, Bruno Méndez, Marllon e Danilo Avelar; Ralf, Sornoza (Jadson) e Mateus Vital (Vagner Love); Pedrinho (Clayson), Gustagol e Janderson. Técnico: Fábio Carille.

CRUZEIRO - Fábio; Orejuela, Dedé (Cacá), Fabrício Bruno e Egídio; Henrique, Ederson, Robinho (Ariel Cabral), Thiago Neves, Marquinhos Gabriel; Fred (Joel). Técnico: Abel Braga.

GOLS - Fagner, aos 33, Fred, aos 37 minutos do primeiro tempo. Éderson, aos 25 minutos do segundo tempo;

ÁRBITRO - Bruno Arleu de Araujo (RJ).

CARTÕES AMARELOS - Ederson (Cruzeiro); Bruno Méndez, Fagner e Vagner Love (Corinthians).

PÚBLICO - 31.631 pagantes (31.882, no total)

RENDA - R$ 1.529.296,10

LOCAL - Arena Corinthians, em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.