Com golaço, São Paulo derrota Atlético-PR e se torna vice-líder

No Morumbi, time faz 1 a 0 logo no início, segura o resultado e ultrapassa o Inter na tabela graças à segunda vitória seguida

Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

08 de outubro de 2014 | 21h30

O São Paulo fez a lição de casa, venceu o Atlético-PR por 1 a 0 – mesmo tendo uma atuação fraca – e roubou do Inter, que jogará nesta quinta, a segunda posição do Campeonato Brasileiro. A partida foi marcada pelo retorno de Muricy Ramalho ao comando do time e os três pontos dão força ao São Paulo na briga pelo título, apesar da grande distância para o líder Cruzeiro.

Com Muricy no banco de reservas depois de 11 dias de ausência por causa de uma arritmia cardíaca, os jogadores do São Paulo sabiam que não podiam dar muitos sustos em seu comandante. Por isso, o golaço de Maicon, logo aos cinco minutos de partida, deu ao time a tranquilidade necessária e colaborou com a recomendação médica para o treinador.

No lance do gol, o goleiro Weverton nada pôde fazer. A bola chegou até os pés de Ganso, que, na entrada da área, ajeitou para Maicon. O meia, que jogou como substituto de Souza, que está com a seleção brasileira, mandou no ângulo. Esse tipo de chute é exaustivamente treinado por Muricy.

" SRC="/CMS/ICONS/MM.PNG" STYLE="FLOAT: LEFT; MARGIN: 10PX 10PX 10PX 0PX;" CLASS="IMGEMBED

Com a vantagem, o São Paulo recuou e deu um pouco de espaço para o Atlético. Após um cruzamento da esquerda, Bady pegou de primeira e Rogério Ceni fez uma defesa fantástica, evitando o gol paranaense. O lance serviu para tirar Muricy de sua cadeira, mas o técnico economizou nas broncas.

Apesar de as duas equipes contarem juntas com cinco atacantes em campo, três do lado dos paulistas e dois do time paranaense, o único jogador que ficava mais fixo na frente era Cléo. Os outros corriam o tempo todo, voltavam para a defesa e se esforçavam na marcação. Assim, com tanta gente preocupada também em defender, os lances de perigo eram raros.

A melhor chance do São Paulo depois do gol ocorreu aos 29 minutos, quando Ganso deu um belo passe para Pato. O jogador saiu na frente do goleiro adversário e mandou no canto, mas a bola foi para fora. A resposta do Atlético veio antes do intervalo, com Sueliton, mas Rogério mais uma vez salvou.

Na etapa final, Muricy logo levantou do banco e começou a gesticular bastante com o time. Ele tentava empurrar o São Paulo para frente, já imaginando que o adversário iria pressionar em busca do empate. Só que os jogadores tinham pouca inspiração na criação das jogadas e gastavam toda a sua energia para marcar os rivais.

Aos dez, o Atlético teve grande chance. A bola foi cruzada da esquerda com perigo, passou por todo mundo até parar do outro lado e, na sequência do lance, já caído, Rogério mandou com o pé para escanteio. Pouco depois, Natanael recebeu a bola em um contra-ataque e bateu com perigo, para fora.

Em alguns momentos, a partida ficava tão fraca tecnicamente que minutos se passavam enquanto os jogadores davam chutões para o alto, cabeçadas e bicões na bola. Em outros, mais raros, alguns atletas de mais qualidade, como Ganso, tentavam colocar a bola no chão. Vendo o time sem muita força no ataque, a torcida tricolor passou a pedir a entrada do goleador Luis Fabiano.

Não demorou para Muricy mexer no time, chamando o Fabuloso e Boschilia justamente no momento em que Michel Bastos chutava ao gol do Atlético com perigo. O time tricolor teve um pouco mais de iniciativa e aproveitou para gastar o tempo. No fim, uma vitória magra, para alívio de Muricy.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 1 x 0 ATLÉTICO-PR

SÃO PAULO - Rogério Ceni; Hudson, Paulo Miranda, Antonio Carlos e Michel Bastos; Denilson, Maicon e Paulo Henrique Ganso; Osvaldo (Boschilia), Alexandre Pato (Luis Fabiano) e Alan Kardec. Técnico: Muricy Ramalho.

ATLÉTICO-PR - Weverton; Sueliton, Gustavo, Cleberson e Natanael; Paulinho Dias, Hernani, Marcos Guilherme e Bady (Carlos Alberto); Marcelo e Cléo. Técnico: Claudinei Oliveira.

GOL - Maicon, aos 5 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS - Paulo Miranda, Paulo Henrique Ganso e Michel Bastos (São Paulo); Gustavo e Cléo (Atlético-PR).

ÁRBITRO - Jailson Macedo Freitas (BA).

RENDA - R$ 292.130,00.

PÚBLICO - 9.820 pagantes.

LOCAL - Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.