Luisa Gonzalez/Reuters
Luisa Gonzalez/Reuters

Com gols de Scarpa e Marcos Rocha, Palmeiras estreia com vitória na Libertadores

Time faz 2 a 0 no Junior Barranquilla com uma atuação sem brilho, porém bastante segura

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

06 de março de 2019 | 23h26

Gustavo Scarpa foi a surpresa do Palmeiras na escalação diante do Junior de Barranquilla e correspondeu em campo, fazendo o primeiro gol da vitória por 2 a 0 na estreia do time brasileiro na Copa Libertadores - Marcos Rocha fechou o placar. O bom resultado fora de casa dá moral para a equipe para a próxima partida no torneio, na terça-feira, contra o Melgar, no Allianz Parque.

O Palmeiras começou com uma postura agressiva, pressionando o adversário e tendo domínio da posse de bola. Passou a incomodar, principalmente com a movimentação de seus jogadores de frente, até que chegou ao gol. Dudu viu Gustavo Scarpa invadindo a área e tocou com precisão. O meia tocou na saída do goleiro e abriu o marcador.

Só que após sair na frente, o time brasileiro recuou. Vinha bem na partida, mas passou a se dedicar mais à marcação do que a tentar um segundo gol. Com isso, o Junior Barranquilla começou a ter mais posse de bola e tentava furar o bloqueio dos visitantes em volta da área. Uma boa chance veio na cobrança de falta do goleiro Viera, que mandou no ângulo, mas Weverton espalmou.

Com dez homens atrás da bola, deixando apenas Borja na frente, o Palmeiras se defendia e não permitia que os colombianos se aproximassem. Desta forma, o único recurso de maior perigo da equipe da casa era arriscar os chutes de fora da área. Em um desses, Díaz mandou com perigo, assustando Weverton.

Com forte marcação, o Palmeiras parecia um time de handebol protegendo sua defesa e, mesmo quando roubava a bola, não conseguia acertar o contra-ataque. Já o time de Barranquilla pecava no último passe e pouco perigo levava para o gol alviverde. No fundo, a pressão dos donos da casa era bastante superficial.

Na segunda etapa, a partida seguiu na mesma toada, com o Palmeiras atrás e o Junior buscando o empate. Díaz chutou e Weverton segurou, depois Matías Fernández teve nova chance, pegando um rebote da própria cobrança de falta que fez, mas mandou para fora, desperdiçando uma boa oportunidade para seu time.

A resposta do Palmeiras veio com Borja, que aproveitou um vacilo da defesa e saiu na cara do gol. Ele tentou tocar  para o gol, mas o goleiro Viera fez ótima defesa, salvando seu time. A partir daí, os dois treinadores resolveram mexer no time. Felipão tentou ter mais posse de bola, abrindo mão de Goulart e Dudu, enquanto do outro lado o técnico Luis Fernando Suárez tentou deixar o time mais ofensivo.

Hinestroza, que entrou para arriscar mais de fora da área, deu um bom chute, mas Weverton defendeu. Pouco depois, Scarpa arriscou de fora da área, com perigo. A pressão do Junior Barranquilla existia, mas foi embora quando Teo Gutiérrez fez falta em Bruno Henrique e, como já tinha cartão amarelo, foi expulso.

Com um a menos, a missão dos colombianos era quase impossível e o Palmeiras manteve sua defesa sólida, sem dar qualquer brecha para o rival. No final, em um contra-ataque, Borja tocou para Marcos Rocha, que tocou por cima do goleiro e fez o segundo. Se não teve brilho, pelo menos o time brasileiro mostrou que será bastante competitivo na Libertadores.

FICHA TÉCNICA

JUNIOR BARRANQUILLA 0 x 2 PALMEIRAS

JUNIOR BARRANQUILLA: Viera; Piedrahíta, Narváez, Ditta e Fuentes; Serje (Hernández), Cantillo, Sambueza (Hinestroza), Matías Fernández (Ruíz) e Luis Díaz; Teo Gutiérrez. Técnico: Luis Fernando Suárez.

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Gustavo Gómez e Victor Luis; Felipe Melo, Bruno Henrique (Thiago Santos) e Ricardo Goulart (Moisés); Gustavo Scarpa, Borja e Dudu (Hyoran). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Gols: Gustavo Scarpa, aos 10 minutos do 1º tempo; Marcos Rocha, aos 46 minutos do 2º tempo.

Juiz: Daniel Fedorczuck (Uruguai).

Cartão amarelo: Teo Gutiérrez.

Cartão vermelho: Teo Gutiérrez.

Local: Metropolitano Roberto Meléndez.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.