Andy Rain/EFE
Andy Rain/EFE

Com gols irregulares, Tottenham vira e goleia o líder Manchester City

Equipe conta com ajuda da arbitragem para fazer 4 a 1 em casa

Estadão Conteúdo

26 de setembro de 2015 | 11h12

Com dois gols irregulares, o Tottenham derrotou o Manchester City de virada com uma goleada de 4 a 1 no estádio White Hart Lane, em Londres, neste sábado. O bom jogo, válido pela sétima rodada do Campeonato Inglês, contou com gols irregulares de Eric Dier e Harry Kane.

O resultado levou o Tottenham ao quinto lugar da tabela, agora com 12 pontos. O Manchester City segue na liderança, com 15, mas pode perder a posição no decorrer da rodada. O rival Manchester United tem 13 pontos e enfrenta o Sunderland em casa ainda neste sábado.

O duelo em Londres teve início com amplo domínio do Manchester City. E o controle da partida foi revertido em gol aos 24 minutos, em rápida arrancada de Yaya Touré. Ele pegou a defesa rival desprevenida, em contra-ataque, e deu passe para Kevin De Bruyne bater na saída do goleiro Lloris. Foi o terceiro gol do belga em cinco partidas pelo novo time.

O empate do Tottenham veio antes do intervalo. Mas começou em lance irregular, em posição claramente impedida de Kyle Walker. Ele cruzou rasteiro na área e na sequência da jogada Dier acertou rasteiro de fora da área. A bola acertou o pé da trave e entrou no gol de Caballero, que substituiu o lesionado Hart.

Na segunda etapa, o time da casa buscou a virada com gol legítimo. Aos 4, Lamela cobrou falta da direita e Toby Alderweireld acertou bela cabeçada para anotar o segundo do Tottenham.

O terceiro gol surgiu em outro lance irregular. Aos 15, Eriksen cobrou falta e carimbou o travessão. No rebote, o atento Harry Kane completou para as redes, em posição de impedimento. Para selar a goleada, o Tottenham marcou o quarto gol aos 33, em jogada individual de Lamela, que driblou Caballero antes de mandar para as redes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.