Divulgação/ São Paulo FC
Divulgação/ São Paulo FC

Com gritos de 'volta Muricy', São Paulo bate Barcelona e conquista Legends Cup

Torneio amistoso com ex-jogadores contou com a presença de 25 mil torcedores no Morumbi

Redação, O Estado de S.Paulo

15 de dezembro de 2019 | 19h00

Cerca de 25 mil torcedores compareceram ao Morumbi neste domingo e mataram um pouco da saudade do período vitorioso do São Paulo. Craques do passado como Careca, Müller, Silas, Zetti e Denilson estiveram no gramado para participar da Legends Cup, um torneio amistoso de grandes equipes. O time tricolor foi campeão com direito a uma vitória por 3 a 0 sobre o Barcelona, que contou com a presença dos brasileiros Deco e Giovanni.

O São Paulo foi comandado por Muricy Ramalho, hoje comentarista de TV, que não dispensou o esquema tático com três zagueiros. O time da decisão começou com Roger; Fabão, Lugano e Bordon; Cicinho, Josué, Richarlyson e Jorge Wagner; Denilson, Dagoberto e Aloísio Chulapa. Dagoberto fez a diferença com dois gols. Fabão fez o outro. Das arquibancadas, a torcida aproveitou para provocar o atual elenco. "Volta, Muricy, volta, Muricy!" e "não é mole, não, coloca esse time pra jogar o Paulistão", foram alguns dos gritos. 

O torneio amistoso contou com quatro times. Além dos finalistas, participaram também Borussia Dortmund e Bayern de Munique. Os jogos tinham dois tempos de 25 minutos cada. Se houvesse empate a decisão iria para os pênaltis. O time do Morumbi venceu no primeiro jogo o Bayern de Munique, de Zé Roberto e Paulo Sergio, por 2 a 0. Muricy armou a equipe com Zetti; Fabão, Lugano e Richarlyson; Souza, Mineiro, Josué e Jorge Wagner; Denilson, Dagoberto e Aloísio Chulapa. 

O astro do futsal Falcão abriu o placar. Na passagem que teve pelo profissional do São Paulo em 2005, ele deixou o clube sem marcar gol em partidas oficiais. O zagueiro Fabão fez o outro. O foi jogo duro e chegou a ter bate-boca entre Josué e Paulo Sérgio. Aloísio Chulapa deu uma peitada no árbitro e recebeu amarelo. O lance mais bonito da partida foi um chapéu de Mineiro em Zé Roberto.

A final teve mais caráter de jogo festivo para quem estava no gramado. Só Muricy é que levou mais a sério e gritava na beira do campo como uma verdadeira final de campeonato. Denilson não voltou para marcar e levou bronca. Mas Dagoberto demonstrou que ainda está em forma e garantiu a vitória ao marcar um gol de pênalti e outro no contra-ataque.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.