Pedro Souza/Atlético-MG
Pedro Souza/Atlético-MG

Com Guga e Everson como 'alvos', Atlético-MG desembarca sob cobranças da torcida

Torcedores protestaram após o time mineiro passar três rodadas sem vencer no Campeonato Brasileiro

Redação, O Estado de S.Paulo

03 de novembro de 2020 | 14h59

Quatro jogos sem vitórias no Brasileirão e a sintonia entre torcida e o elenco do Atlético-MG parece ter chegado ao fim. O desembarque do time em Belo Horizonte, após levar 3 a 0 do Palmeiras, foi tenso, com muita cobrança, ameaças e Guga e Everson como alvos principais.

O Atlético-MG somou apenas dois pontos de 12 possíveis e despencou da liderança para o terceiro lugar. Perdeu para Bahia e Palmeiras fora de casa e não foi além de empates com Fluminense e Sport no Mineirão.

Integrantes da torcida organizada Galoucura perderam a paciência e resolveram cobrar o grupo no retorno à capital mineira. A chegada foi sob muitos palavrões e a famosa e triste ameaça: "ou joga por amor, ou joga no terror". Não faz 20 dias, o Atlético era apontado o melhor time da atualidade e já imaginavam o fim do tabu no Nacional. Bastaram quatro tropeços para a pressão se fazer presente.

Guga foi alvo de muitos xingamentos. Ele não acompanhou Wesley num gol do Palmeiras. Já tinha contra ele também a falha num dos gols de Gilberto na derrota para o Bahia, no qual foi recuar e "serviu" o atacante. Foi chamado de "desgraça" e cobrado por "receber para jogar bola". Os torcedores gritaram que o time está de "brincadeira" e "sem vontade."

O goleiro brigou para sair do Santos para ser o titular de Jorge Sampaoli. Mas bastaram alguns gols sofridos para também se tornar "persona non grata". Foram sete em três jogos, já que o Sport segurou o 0 a 0. "El, el, el, queremos Rafael", foi o cântico direcionado a ele. O ex-titular do gol perdeu a posição ao ser expulso diante do Santos e não voltou mais a jogar. Agora a torcida cobra seu retorno.

Além de ir ao aeroporto cobrar, a Galoucura, maior organizada do Atlético-MG, também usou as redes sociais para protestar. "Apoiamos até o momento que deu. Hoje vimos mais uma vez um time apático, sem vontade alguma de vencer. Um time com um investimento tão alto, um time onde o treinador pede um, dois, três, diversos reforços e é atendido, e mesmo assim não dá a cara ao time, merece uma cobrança", começou o post.

E as cobranças foram além: "Tem algo de errado e queremos saber o que é! A meta é ganhar o Brasileiro, mas sem raça e vontade não vai dar. Apoiamos e muito, e todos viram. Mas chegou a hora de cobrar, antes que seja tarde demais", enfatizaram. "Hoje, a princípio, pedimos a saída do Everson e do Guga do time titular. Que o Sampaoli dê chances ao Rafael e ao Mailton!"

Os torcedores garantiram que não querem rachar o elenco, mas foram incisivos em pedir raça para gritar "é campeão".

Tudo o que sabemos sobre:
Atlético Mineirofutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.