Geoffroy Van der Hassel/AFP
Geoffroy Van der Hassel/AFP

Com heliponto, hospital disponibiliza estrutura para receber cirurgia de Neymar

Jogador passará por cirurgia para corrigir uma fratura no pé direito na manhã de sábado

Leandro Silveira, O Estado de S.Paulo

01 Março 2018 | 16h29

Escolhido pelo médico da seleção brasileira, Rodrigo Lasmar, para a realização da cirurgia no pé direito de Neymar, o Hospital Mater Dei, em Belo Horizonte, já se prepara para receber o jogador da seleção brasileira no sábado, quando ocorrerá a operação, e toda a atenção que a sua presença despertará. Com isso, disponibilizou sua estrutura para a CBF utilizá-la da melhor maneira.

Após cirurgia, Neymar ficará até 3 meses parado e voltará em cima da Copa

Na manhã de sábado, em horário ainda a ser determinado, Neymar passará por cirurgia para corrigir uma fratura no pé direito. E há preocupação com a privacidade do jogador e das pessoas próximas a ele, o que poderá levar a CBF a solicitar que uma ala do Mater Dei seja reservada ao jogador do Paris Saint-Germain, que também enviará representantes ao Brasil. 

O hospital, que será palco da operação em sua unidade na avenida do Contorno, disponibilizará toda a sua estrutura a Neymar, seu estafe e a CBF, o que incluiu o heliponto do Mater Dei. Com isso, há a expectativa de que o jogador chegue ao local no próximo sábado em um helicóptero, evitando um contato mais direto com fãs e a imprensa.

De qualquer forma, o Mater Dei aguarda definições da CBF para preparar toda os detalhes da logística da operação para a cirurgia de Neymar, que deverá atrair a atenção da imprensa mundial no próximo fim de semana.

Na cirurgia deste sábado, Neymar vai colocar um pino para corrigir a fratura no quinto metatarso do pé direito. Ele se machucou na vitória sobre o Olympique de Marselha, domingo, pelo Campeonato Francês. Ainda não está definido como e onde será o processo de recuperação de Neymar, mas a tendência é de que ele receba alta hospitalar até o próximo domingo.

Neymar desembarcou na manhã desta quinta-feira no aeroporto do Galeão, no Rio, junto com Lasmar. O médico evitou dar um prognóstico específico sobre o tempo de recuperação do atleta, mas admitiu que ele poderá ficar por até três meses sem atuar, o que faria realizar o seu retorno aos gramados às vésperas da Copa do Mundo - a estreia da seleção brasileira na Rússia será em 17 de junho, diante da Suíça.

Isso poderá fazê-lo perder o restante da temporada 2017/2018 do futebol europeu, pois a finalíssima da Liga dos Campeões está agendada para 26 de maio, sendo que uma semana antes se encerrará o Francês, que tem o PSG como líder disparado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.