Marco Ambrosio
Marco Ambrosio

Com hino e bandeira, Juvenal Juvêncio é enterrado em São Paulo

Ex-presidente do São Paulo foi vítima de um câncer na próstata

Estadão Conteúdo

10 de dezembro de 2015 | 12h37

O corpo do ex-presidente do São Paulo Juvenal Juvêncio foi enterrado na manhã desta quinta-feira, no Cemitério do Morumby, na capital paulista. Cerca de 200 pessoas, entre amigos e familiares, compareceram ao local e ajudaram a cantar o hino do clube, diante da bandeira que envolvia o caixão.

Entre os presentes estavam o técnico interino Milton Cruz e Marco Aurélio Cunha, que trabalhou com Juvenal na diretoria são-paulina e chegou a ter laços com o ex-presidente, quando foi casado com uma de suas filhas.

Juvenal morreu na manhã desta quarta-feira, aos 81 anos, em razão de complicações causadas por um câncer na próstata. Ele presidiu o São Paulo entre 1988 e 1990 e, depois, entre 2006 e 2014.

Nessa última gestão, liderou o clube ao tricampeonato brasileiro e também à conquista da Copa Sul-Americana, em 2012. Deixou de ocupar cargo na diretoria em 2014, quando rompeu com o ex-aliado político Carlos Miguel Aidar e saiu da diretoria das categorias da base do clube. Desde então, passou a atuar na oposição.

A última participação do ex-dirigente no São Paulo foi na última sexta-feira. O clube promoveu um evento de despedida para Luis Fabiano no CT da Barra Funda e Juvêncio gravou um áudio com mensagem de apoio ao atacante.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSão Paulo FCJuvenal Juvêncio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.