JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Partida entre Santos e Palmeiras não teve problema fora de campo

Apenas ovos foram atirados no ônibus com a delegação alviverde

Glauco de Pierri, O Estado de S. Paulo

26 de novembro de 2015 | 00h49

Se dentro de campo Santos e Palmeiras disputaram um jogo tenso, cheio de lances de perigo, fora dele o clima, dessa vez, foi mais tranquilo. Se nos últimos confrontos entre os dois times a Polícia Militar teve muito trabalho, no jogo de quarta-feira à noite na Vila Belmiro os torcedores se comportaram um pouco melhor - e nas arquibancadas, a pequena torcida palmeirense se mostrou mais aguerrida, empurrou o time durante os 90 minutos e até depois do jogo, com a derrota consumada, não cessou a cantoria.

Por volta das 17h os arredores da Vila já começavam a receber torcedores do Santos. Eles esperavam pelo ônibus do time, que chegou em meio a uma festa gigantesca dos torcedores. Rojões, sinalizadores, fumaça, batuque e bandeiras recepcionaram os jogadores do Alvinegro. Faixas com os dizeres de 'bicampeão da Copa do Brasil' eram vendidas aos montes antes mesmo do jogo começar.

O ônibus com a delegação do Palmeiras chegou ao estádio quase ao mesmo tempo, e os torcedores do Santos atiraram ovos nas janelas do veículo, sendo rapidamente retirados pelos policiais.

Do lado Alviverde, tranquilidade. As torcidas organizadas do Palmeiras foram escoltadas pela polícia até a chegada nas proximidades do estádio. O único problema é que uma parte dos torcedores conseguiram entrar apenas com a bola rolando. 

Durante a partida, os torcedores do Santos tentaram empurrar o time para a vitória desde o começo do jogo, mas os palmeirenses foram mais valentes 'no grito'. Mesmo em minoria, e vendo o time ser praticamente massacrado pelo Santos durante os 90 minutos, os torcedores alviverdes cantaram durante todo o jogo. Já os santistas oscilavam entre a incredulidade com os gols perdidos e o apoio ao time. 

Ao final do jogo, a torcida do Santos ficou quieta - ainda mais com o gol perdido pelo atacante Nilson aos 50 minutos do segundo tempo, que poderia ter definido o título para o time da Vila Belmiro. Já do lado verde, que precisou esperar até 0h30 da quinta-feira para deixar a Vila, cantos de apoio ao time já para o jogo de volta, dia 2 de dezembro, no Allianz Parque.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.