Com holofotes sobre Ronaldo, Portugal tenta 1ª vitória contra embalada Rússia

Torcedores do país sede estavam desconfiados quanto à sua seleção, mas bom futebol apresentado na estreia animou

Gabriel Melloni, Estadão Conteúdo

21 de junho de 2017 | 06h06

Rússia e Portugal se enfrentam nesta quarta-feira ao meio-dia (de Brasília), no Spartak Stadium, em Moscou, pela segunda rodada do Grupo A da Copa das Confederações. De um lado, estarão os anfitriões russos, embalados pela vitória na estreia contra a Nova Zelândia. Do outro, um time português abalado pelas polêmicas envolvendo seu principal astro, Cristiano Ronaldo.

Melhor jogador do mundo eleito pela Fifa, o astro do Real Madrid desembarcou na Rússia ainda mais visado por imprensa e torcedores por conta da acusação de fraude fiscal que enfrenta na Espanha e que teria lhe gerado o desejo de deixar o clube. Por isso, o craque recusou falar com os jornalistas durante o torneio, o que só aumentou as especulações.

Mesmo depois do futebol oscilante apresentado no empate da estreia contra o México por 2 a 2, o assunto continuou sendo Cristiano Ronaldo. Por isso, o técnico Fernando Santos e os companheiros do jogador saíram em sua defesa e fizeram questão de exaltar o comprometimento do craque com a seleção.

"Cristiano é um jogador que está completamente motivado para ajudar Portugal, como sempre", garantiu o zagueiro Pepe, colega do jogador também no Real Madrid. Já o técnico Fernando Santos, depois de garantir que "colocaria a mão no fogo" por Cristiano Ronaldo, garantiu que o jogador está "completamente concentrado" no jogo contra a Rússia.

Uma boa atuação de Cristiano Ronaldo pode ser fundamental para Portugal encaminhar a vaga às semifinais da Copa das Confederações. Com um ponto no Grupo A, a seleção ficaria em ótima situação em caso de vitória contra a Rússia. Afinal, na última rodada encara a frágil Nova Zelândia, neste sábado, em São Petersburgo.

Só que do outro lado, Portugal terá pela frente uma Rússia que ganhou moral após a estreia. Diante da equipe mais fraca do torneio, justamente a Nova Zelândia, o país-sede fez o dever de casa e apresentou um bom futebol para vencer por 2 a 0 e, mais do que isso, ganhar a torcida, que estava desconfiada.

Isso porque a Rússia chegou para a Copa das Confederações pressionada por resultados pífios. Do início de 2016 até o começo da competição, disputou 16 partidas, com apenas quatro vitórias. A um ano para a Copa do Mundo, o torcedor se via desconfiado também pelas eliminações precoces na Eurocopa em 2012 e 2016 e no Mundial de 2014.

Assim, a partida diante de Portugal, atual campeão europeu, é a chance da Rússia de encaminhar a classificação para a próxima fase da Copa das Confederações, mas também trazer de vez a torcida para seu lado. A equipe da casa encerra a sua participação na primeira fase do torneio contra o perigoso México, neste sábado, em Kazan, e pode chegar para o confronto praticamente classificada se bater os portugueses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.