Gustavo Granata/EFE
Gustavo Granata/EFE

Com início avassalador, Inter vence o Tigres e fica mais perto da final

Colorado faz 2 a 1 sobre mexicanos no jogo de ida das semis

JOÃO PRATA, especial para O Estado de S. Paulo

16 de julho de 2015 | 00h08

O Inter teve um início de jogo avassalador no Beira-Rio, abriu dois gols de vantagem antes dos dez minutos e deu a impressão de que conseguiria uma goleada. Mas o Tigres conseguiu diminuir na primeira ida ao ataque, calou o estádio e mudou a história do jogo. Chegou a ser melhor em alguns momentos e só deixou de pressionar o time da casa depois que ficou com um a menos, quando Ayala foi expulso. No final das contas, a vitória por 2 a 1 do time colorado nesta quarta-feira pode ser considerada um passo importante para a vaga na decisão da Libertadores.

As equipes voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira, às 22h (de Brasília), no México. O Inter avança para a decisão com um empate. Na outra semifinal, o River Plate venceu o Guaraní, do Paraguai, por 2 a 0, em casa - a volta será na terça-feira.

Com o apoio em peso da torcida que lotou o Beira-Rio, a equipe gaúcha começou com uma marcação sob pressão no adversário, abriu o placar logo aos 4 minutos. O zagueiro Arévalos Rios tentou recuar para o goleiro, Nilmar desviou a bola, que caiu nos pés de D''Alessandro. Do jeito que veio, o capitão colorado apenas olhou a posicionamento do goleiro e bateu no canto.

O Tigres mal havia pegado na bola e o Inter marcou o segundo aos 9 minutos. Após uma bela troca de passes, Nilmar tentou avançar até a área, a zaga cortou e a bola sobrou na esquerda nos pés de Valdívia, que chutou e contou com o desvio em Hugo Ayala para encobrir o goleiro e morrer no fundo das redes.

A vantagem no placar deu muita tranquilidade para o time brasileiro. Com D''Alessandro aberto pela direita e Valdívia pela esquerda, o Inter dominava as ações na intermediária do campo. Mas na primeira vez que os mexicanos conseguiram chegar ao ataque, aos 23, marcaram. Sobis cobrou escanteio curto, recebeu de volta e cruzou. Ayala subiu entre a zaga e desviou de cabeça para diminuir a contagem.

O gol mexicano mudou a história da partida. Os jogadores do Inter começaram a se apavorar e dar boas chances ao adversário. William perdeu a bola na direita, o Tigres armou contra-ataque com Aquino, que deixou Sóbis na cara do gol. O atacante brasileiro dominou, mas chutou em cima de Alisson. Pouco depois, Ernando perdeu a bola no campo de defesa, Gignac arrancou pela direita, deu uma caneta em Alan costa e chutou para ótima defesa do goleiro do Inter.

O Tigres voltou melhor na etapa final e criou a primeira chance em cabeceio de Sóbis nas mãos de Alisson. Nilmar tentou responder, mas dentro da área não conseguiu passar pela marcação do brasileiro Juninho. Os mexicanos voltaram a pressionar, Damm foi até a linha de fundo pelo lado direito, rolou para o meio da área e Arévalo chutou por cima.

O Inter vivia um momento complicado quando Lisandro López dominou a bola na intermediária e levou um carrinho de Ayala. O volante do Tigres já tinha amarelo e recebeu o vermelho. Com um a mais, o auxiliar Ricardo Ferreti optou por dar mais fôlego ao Inter e trocou Nilmar por Eduardo Sasha - o técnico Diego Aguirre assistiu ao jogo das tribunas pois está suspenso. A partida ficou mais truncada com as duas equipes com dificuldades de finalizar a gol.

O time gaúcho só foi assustar no segundo tempo aos 28 minutos. Valdívia cruzou na área e Lisandro López desviou de cabeça para Guzmán defender no susto. No rebote, o Inter trocou passes, Lisandro arriscou de fora da área e o goleiro mandou para escanteio. Foi o único bom momento do Inter na etapa final. Mesmo com um a mais, a equipe não conseguiu ampliar a vantagem, mas vai para o México podendo empatar.

FICHA TÉCNICA:

INTERNACIONAL 2 X 1 TIGRES

INTERNACIONAL - Alisson; William, Ernando, Alan Costa e Geferson; Rodrigo Dourado, Aránguiz, Valdívia (Rafael Moura) e D''Alessandro; Nilmar (Eduardo Sasha) e Lisandro López. Técnico: Enrique Carreras (auxiliar).

TIGRES - Guzmán; José Torres, Juninho, Hugo Ayala e Israel Jiménez; Arévalo Ríos, Guido Pizarro, Javier Aquino e Damm (Antonio Briseño); Rafael Sobis e Gignac. Técnico: Ricardo Ferreti.

GOLS - D'Alessandro, aos quatro, Valdívia, aos nove, e Ayala aos 23 minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO - José Argote (Fifa/Venezuela).

CARTÕES AMARELOS - Geferson e Rodrigo Dourado (Inter); Hugo Ayala, Israel Jiménez, Guido Pizarro e Juninho (Tigres).

CARTÃO VERMELHO - Hugo Ayala (Tigres).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS);

Tudo o que sabemos sobre:
futebolInterCopa LibertadoresTigres

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.