Lucas Merçon/Fluminense
Lucas Merçon/Fluminense

Com interferência do VAR, Fluminense cede empate ao Avaí nos acréscimos

Partida teve fim polêmico após árbitro de vídeo voltar cobrança de pênalti que goleiro da equipe carioca havia defendido

Redação, Estadão Conteúdo

01 de dezembro de 2019 | 18h49

Em um jogo com final polêmico e um gol sofrido aos 47 minutos do segundo tempo, o Fluminense perdeu a chance de ficar ainda mais próximo da permanência na elite ao empatar com o Avaí, por 1 a 1, na Ressacada, neste domingo, pela 36.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

No final do segundo tempo, Luccas Claro derrubou Jonathan dentro da área e o árbitro assinalou pênalti, defendido por Marcos Felipe. No entanto, após consulta ao VAR, a cobrança voltou porque o goleiro carioca havia adiantado. Na segunda tentativa, João Paulo não desperdiçou, deslocando o goleiro com categoria.

O resultado deixa o Fluminense na 15.ª colocação, com 42 pontos, seis a mais do que o Cruzeiro. O time mineiro entra em campo na segunda-feira, diante do Vasco, no Rio. O já rebaixado Avaí chegou ao 16.º jogo sem vitória e segue na lanterna, com apenas 19 pontos.

Diante de um adversário já rebaixado, o Fluminense parecia se sentir em casa, já que a sua torcida fazia mais barulho nas arquibancadas. O jogo, porém, era concentrado no meio-campo, até por conta da condição ruim do gramado, que dificultava a troca de passes.

Apesar de precisar mais da vitória do Avaí, o Fluminense não conseguia jogar e dava os primeiros sinais de nervosismo. Nenê, por exemplo, recebeu cartão amarelo por uma falta sem necessidade no meio-campo.

A primeira finalização saiu aos 36 minutos e foi mortal. Gilberto fez grande jogada individual e cruzou para Marcos Paulo. Livre de marcação, o atacante cabeceou, de cima para baixo, no contrapé de Vladimir. A bola tocou na trave e entrou. Na frente, o Fluminense passou a valorizar a posse e o primeiro tempo terminou sem mais nenhum lance de emoção.

O Avaí voltou com uma postura mais agressiva do intervalo, pressionando o Fluminense. Os jogadores chegaram a pedir um pênalti não marcado após a bola acertar o braço de Luccas Claro dentro da área, mas o árbitro mandou o lance seguir.

O time carioca errava muitos passes e, de maneira perigosa, chamava o Avaí para cima. Aos 34, Pablo Dyego recebeu passe preciso de Guilherme e, na cara de Vladimir, finalizou rasteiro. A bola tocou na trave e saiu pela linha de fundo.

Aos 41 minutos, Jonathan foi derrubado por Nino dentro da área e o árbitro assinalou pênalti. Marcos Felipe defendeu a cobrança de João Paulo, mas o árbitro mandou voltar depois de consultar o VAR. O goleiro havia se adiantado.

Depois de muita confusão, aos 47, João Paulo deslocou Marcos Felipe e deixou tudo igual. No último lance do jogo, Yuri Lima recebeu na entrada da área e bateu por cima, desperdiçando a chance de dar a vitória ao Fluminense.

O Avaí volta a campo na quinta-feira, contra o campeão Flamengo, às 20 horas, no Maracanã, enquanto o Fluminense recebe o Fortaleza na quarta-feira, às 21h30, também no Maracanã. Os jogos são válidos pela penúltima rodada do Brasileirão.

FICHA TÉCNICA:

AVAÍ 1 X 1 FLUMINENSE

AVAÍ - Vladimir; Léo (Gabriel Lima), Kunde, Marquinhos Silva e Ramon Pereira; Marcinho (Vinícius Araújo), Wesley e Richard Franco; João Paulo, Jonathan e Caio Paulista (Lourenço). Técnico: Evando Camilatto.

FLUMINENSE - Marcos Felipe; Gilberto, Nino, Luccas Claro e Caio Henrique; Yuri Lima, Allan (Igor Julião), Dodi e Nenê (Guilherme); Yony González e Marcos Paulo (Pablo Dyego). Técnico: Marcão.

GOLS - Marcos Paulo, aos 36 minutos do primeiro tempo. João Paulo, aos 47 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Daniel Nobe Bins (RS).

CARTÕES AMARELOS - Léo, João Paulo, Wesley e Richard Franco (Avaí); Nenê, Marcos Felipe, Allan, Guilherme e Luccas Claro (Fluminense).

RENDA - R$ 120.175,00.

PÚBLICO - 3.237 (total).

LOCAL - Estádio da Ressacada, em Florianópolis (SC).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.