Vitor Silva / Botafogo
Vitor Silva / Botafogo

Com técnicos interinos, Botafogo e Goiás duelam por objetivos distintos na Série B

Equipe alvinegra demite Marcelo Chamusca e tenta vencer após quatro jogos; goianos querem encerrar oscilação

Redação, Estadão Conteúdo

20 de julho de 2021 | 07h19

Há quatro jogos sem vencer, pressionado e ainda sem definir o seu novo treinador - após a queda de Marcelo Chamusca -, o Botafogo tenta fazer as pazes com a vitória no duelo contra o Goiás, marcado para esta terça-feira, às 19 horas, no estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro, pela 13.ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

A série negativa na competição deixou o Botafogo mais próximo da zona de rebaixamento do que do acesso. O time carioca tem 13 pontos. O Confiança, 17.º, soma nove, enquanto que o CRB, em quarto, tem 20. Na última rodada, perdeu para o Brusque por 2 a 1, em Santa Catarina.

O Goiás, por sua vez, vem elencando bons e maus momentos na competição. O time esmeraldino, que empatou sem gols diante do Londrina, no último sábado - resultado que culminou com a demissão de Pintado -, é o quinto colocado, com 20 pontos.

O Botafogo continuará sendo dirigido por Ricardo Resende, técnico do sub-20. Nos últimos dias, o clube carioca colocou lista na mira e foi alvo de uma declaração bombástica do experiente Joel Santana, que garantiu que assumiria a agremiação na sequência da Série B. No entanto, nada foi anunciado oficialmente. Na semana passada, Lisca e Dorival Júnior declinaram de convites.

Para o duelo, o treinador ganhou o retorno do lateral-esquerdo Gilson, que cumpriu suspensão automática. A expectativa é que o time seja muito semelhante daquele que perdeu para o Brusque, exceção para algumas mudanças pontuais do comandante interino. "Eu percebi um grupo incomodado com a situação, querendo melhorar e sair rapidamente. E que a gente possa, já no próximo jogo, contra o Goiás, conseguir uma vitória porque o grupo tem potencial e a gente tem condições de buscar o crescimento na competição", disse Ricardo Resende.

Glauber Ramos estará à frente do Goiás. Ele atuará de forma interina até que um novo nome seja anunciado. E terá reforços logo de cara. Alef Manda, Caio Vinícius e Reynaldo retornam após cumprirem suspensão na última rodada.

Por outro lado, o treinador não poderá contar com Apodi, vetado pelo departamento médico, por conta de uma fratura no rosto. Ivan seguirá no lado direito. Glauber ainda estuda a utilização de dois armadores. A principal dúvida está entre Dadá Belmonte ou Diego. Luan Dias corre por fora na luta por vaga entre os titulares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.