Com irregularidades, Arena Corinthians pode ser interditada de novo

Ministério Público garante que funcionários do Itaquerão não estão usando equipamentos de segurança adequados

Raphael Ramos, O Estado de S. Paulo

15 de maio de 2014 | 12h08

SÃO PAULO - O Ministério Público do Trabalho ameaça pedir a interdição das obras da Arena Corinthians. Após fiscalização realizada na manhã desta quinta-feira no local foram constatadas algumas irregularidades que podem provocar nova paralisação dos trabalhos no local. No domingo, será realizado o último evento-teste no Itaquerão antes da entrega do estádio para a Fifa. O Corinthians enfrenta o Figueirense, pela 5ª. rodada do Campeonato Brasileiro, e os ingressos já estão esgotados, para 40 mil pessoas. O estádio será palco da abertura do Mundial, no dia 12 de junho, e receberá mais cinco partidas do torneio.

Nesta quinta feira, operários da obra foram flagrados usando equipamentos de segurança de forma irregular. Segundo o Ministério Público do Trabalho, não basta o empregador oferecer os equipamentos, é preciso fiscalizar e cobrar que os funcionários os utilizem de forma correta. Também foi constatado excesso no número de horas trabalhadas e falhas na movimentação de carga.

"Já tínhamos feito uma visita aqui no Itaquerão há cerca de um mês e os problemas continuam. Se for o caso, podemos interditar novamente o estádio", disse Roberto Ribeiro Pinto, do Ministério Público do Trabalho.

O ex-presidente do Corinthians e responsável pela obra, Andrés Sanchez, estava no Itaquerão no momento da inspeção feita por peritos e procuradores do Ministério Público do Trabalho. Ele se comprometeu a cobrar das empresas que trabalham na Arena Corinthians que as exigências feitas nesta quinta-feira sejam atendidas o mais rápido possível. Uma nova visita dos técnicos do MPT à Arena Corinthians está programada em 15 dias, quando o estádio já estará sob administração da Fifa.

Três operários já morreram nas obras da Arena Corinthians, dois deles quando um guindaste caiu sobre parte da estrutura erguida em novembro do ano passado. Na ocasião, os operários Fábio Luiz Pereira, de 42 anos, e Ronaldo Oliveira dos Santos, 44 anos, foram atingidos pela grua que afundou no terreno. As mortes foram instantânea.

Em março deste ano, Fábio Hamilton da Cruz, de 23 anos, caiu de uma altura de aproximadamente oito metros enquanto instalava placas nas arquibancadas provisórias. Ele foi socorrido, deu entrada no hospital, mas não resistiu. A obra foi interditada pelo Ministério do Trabalho e a instalação das estruturas só foram liberadas depois que uma lista de exigências de itens de segurança foi realizada. O estádio deveria ser entregue no dia 31 de dezembro de 2013.

Por enquanto, uma nova interdição da Arena Corinthians é apenas uma ameaça, que poderá se concretizar de acordo com as iniciativas que serão tomadas pelos responsáveis da obra. O Itaquerão corre contra o tempo para ser entregue à Fifa para a Copa do Mundo. A primeira partida do Mundial, dia 12 de junho, será entre o Brasil e a Croácia.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.