Ivan Storti/ Santos FC
Ivan Storti/ Santos FC

Com jogo adiado, Santos ganha tempo para recuperar lesionados e fazer ajustes

Equipe de Fábio Carille enfrentaria o Fluminense no domingo, mas jogo ganhou nova data para poder contar com público

Felipe Rosa Mendes, Estadão Conteúdo

29 de setembro de 2021 | 20h35

Ainda sem completar 30 dias de trabalho no comando do Santos, o técnico Fábio Carille recebeu uma ótima notícia nesta quarta-feira. A CBF remarcou a partida contra o Fluminense, que seria no domingo, para o fim de outubro. Assim, o treinador ganhou mais uma semana para fazer ajustes no time e recuperar jogadores lesionados.

Carille ainda busca sua primeira vitória no comando santista. Ele sequer comemorou gol. Desde que assumiu o time foram dois empates e duas derrotas, por diferentes competições - um dos tropeços custou a eliminação na Copa do Brasil. Contando com reforços, contratados pela diretoria, o treinador quer aproveitar o momento para dar a sua cara à equipe.

Para tanto, sua prioridade deve ser justamente o ataque, em busca do primeiro gol do time com sua presença no banco de reservas. O ataque santista vem perdendo produtividade desde o início da temporada, principalmente por causa da saída de jogadores decisivos, como Soteldo e Kaio Jorge. A lesão de Marinho, que se recuperou recentemente, também contribuiu.

Em compensação, Carille ganhou reforços para o setor, como os experientes Léo Baptistão e Diego Tardelli. Mesmo assim, a situação segue difícil. O Santos marcou apenas um gol no mês de setembro, em cinco jogos disputados. Ao chegar ao clube, o treinador avaliou que as limitações ofensivas tinham relação direta com problemas na armação das jogadas.

Assim, ele deve dar atenção especial ao meio-campo e também à pontaria do seu ataque nos próximos dias. Outra prioridade deve ser o trabalho defensivo nas jogadas de bola aérea, algo que já parecia superado pelo time, após sofrer neste fundamento na temporada passada. Mas as dificuldades persistem.

Ao mesmo tempo, Carille deve dar atenção especial ao moral do time, abalado com tantos tropeços e eliminações recentes - também houve queda na Copa Sul-Americana, no mês passado. A pressão da torcida tem aumentado, apesar de o time jogar com arquibancadas vazias. Tardelli, por exemplo, foi atacado por torcedores quando dirigia seu carro no retorno ao hotel onde estava hospedado.

No capítulo das lesões, Carille poderá ter os reforços dos zagueiros Kaiky e Luiz Felipe, do lateral Madson e do volante Jobson para o próximo jogo da equipe santista, o clássico com o São Paulo, no dia 7 de outubro, no Morumbi, pela 24ª rodada do Brasileirão. O quarteto oscila entre lesões leves e processos avançados de recuperação, no caso de contusões mais graves. Os retornos de Robson Reis, John, Kevin Malthus e Sandry serão mais lentos e ainda sem prazos definidos.

Com o adiamento da partida contra o Flu, Carille ganhou no total 11 dias de intervalo entre a dura derrota para o Juventude, por 3 a 0, no domingo, e o clássico da próxima semana.

O jogo mudou de data por sugestão da CBF, acatada pelo time paulista, porque o Conselho Técnico de Clubes da Série A decidiu pelo retorno das torcidas ao estádio a partir da 23ª rodada, mas o governo do Estado de São Paulo só vai liberar o público nas arquibancadas a partir de 4 de outubro. Para poder jogar o duelo com o Flu com torcida, o Santos optou pela alteração na data.

ENCONTRO

Na tentativa de promover maior integração no clube e dar mais confiança ao time, o presidente Andres Rueda participou de um almoço nesta quarta com todos os jogadores do elenco santista, comissão técnica e funcionários do CT Rei Pelé. O encontro contou com a presença de ídolos, como Giovanni, Clodoaldo e Gilberto Costa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.