Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Com Jorge titular, Felipe Jonatan aposta na polivalência por espaço no Santos

Lateral de origem, o ex-jogador do Ceará vem atuando com frequência no meio-campo com Jorge Sampaoli

Leandro Silveira, Estadão Conteúdo

02 de agosto de 2019 | 07h52

Jorge é o titular absoluto da lateral-esquerda do Santos. No clube desde o início de abril, assumiu rapidamente essa condição e segue em alta com o técnico Jorge Sampaoli, tanto que, embora o treinador adote o rodízio nas escalações, o lateral disputou os últimos oito jogos da equipe como titular, não sendo substituído em nenhum deles.

Antes da chegada de Jorge, o Santos havia se reforçado com outro lateral-esquerdo: Felipe Jonatan. Após passagem pelo Ceará, estreou pelo clube em março. Teve, portanto, um mês como titular da posição com Sampaoli, até o clube contratar Jorge.

O novo cenário forçou uma readaptação de Felipe Jonatan. Lateral de origem, o ex-jogador do Ceará vem atuando com frequência no meio-campo, sendo acionado por Sampaoli para entrar em campo durante o segundo tempo de vários compromissos e dividindo o lado esquerdo do campo com Jorge, antes seu concorrente.

Após a chegada de Jorge à Vila Belmiro, Felipe Jonatan disputou sete jogos pelo Santos, mas apenas nos dois primeiros como titular e na sua posição de origem, diante de Grêmio e Palmeiras, ambos pelo Campeonato Brasileiro e quando o time ainda estava envolvido na Copa do Brasil, com Jorge sendo poupado de ambos compromissos.

Depois, então, Felipe Jonatan passou a ficar relegado ao banco de reservas. Mas não deixou de ser acionado por Sampaoli, mas sempre para entrar no meio-campo e com Jorge permanecendo na equipe, como ocorreu cinco vezes, contra Ceará, Atlético-MG, Botafogo, Corinthians e Avaí.

"O professor Sampaoli pediu para eu ajudar na saída de bola. Ele também sabe da capacidade que eu tenho para atuar na segunda linha. Não é a primeira vez que eu atuo nessa posição. Estou feliz por ajudar o SantoS a conquistar mais um resultado positivo. Acho que é bem válido isso. Sabíamos da dificuldade que teríamos nesse jogo. Eles estão dando trabalho para todas as equipes", comentou o lateral, ao site oficial do Santos.

Para Entender

Podcast: ouça os boletins de Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo

Confira notícias da temporada 2019 dos quatro principais times do Estado

O desafio para Felipe Jonatan agora é "convencer" Sampaoli a escalá-lo desde o início dos jogos ao lado de Jorge, algo que ainda não aconteceu. Mas há chance de isso ocorrer nesse fim de semana, contra o Goiás, pois Lucas Veríssimo está de volta após cumprir suspensão automática na partida diante do Avaí.

Com isso, Sampaoli poderia escalar o time com três zagueiros - os outros são Gustavo Henrique e Felipe Aguilar - e tendo Lucas Veríssimo exercendo as funções defensivas de lateral-direito quando time estiver sendo atacado, o que levaria Victor Ferraz a perder sua vaga. A partir disso, o Santos teria mais uma vaga disponível no meio-campo, com Jean Mota sendo o favorito a assumi-la, com Felipe Jonatan correndo por fora nessa disputa.

O jogador, de 21 anos, garante que a situação não é inédita na sua carreira, tendo já atuado mais avançado, no meio-campo, no período em que defendeu o Ceará. "Eu já atuei assim outras vezes no Ceará, não é nada novo para mim. Sei da minha qualidade e capacidade para atuar em outras posições. Como falei anteriormente: o importante é ajudar o Santos e, independentemente da posição que o professor optar para mim, darei o meu melhor sempre", reforçou Felipe Jonatan, que mesmo sendo reserva participou de sete dos 12 jogos do Santos no Brasileirão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.