Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Com julgamento marcado, Dudu pede ajuda ao Palmeiras

Atacante vai ao tribunal na próxima segunda-feira

Daniel Batista, O Estado de s.Paulo

13 de maio de 2015 | 20h24

Dudu vive um inferno astral no Palmeiras. Sua última alegria foi acertar a cobrança de pênalti contra o Corinthians, pela semifinal do Paulista. De lá para cá, teve pouca coisa para comemorar e muita para se lamentar. Perdeu um pênalti no primeiro jogo da final, foi expulso e acusado de ter agredido o árbitro no segundo jogo e ainda teve que ouvir as primeiras vaias da torcida no jogo com o Atlético-MG. Chateado, ele vai ser julgado no próximo dia 18 e, dependendo da punição, pode praticamente não jogar mais neste ano. Ele pede ajuda para escapar da suspensão e reencontrar o bom futebol.

"Perdi a cabeça. Eu estava de cabeça quente e aconteceu. Agora é esperar, pois tenho certeza que o Palmeiras vai fazer de tudo para me ajudar", disse o atacante, temeroso em pegar uma suspensão pesada. Caso o TJD entenda que realmente ele agrediu o árbitro Guilherme Ceretta, a punição mínima para esses casos é de seis meses sem jogar. "Todos ficam com medo de pegar uma punição pesada, mas confio nos advogados do Palmeiras".

Além de toda a confusão e da má fase com a bola no pé, outro fato que deixa Dudu ainda abalado foi o fato de ter perdido o estadual para o Santos. "Eu queria muito ganhar esse título. Faz tempo que o Palmeiras não ganha e queria ajudar da melhor maneira possível e não conseguimos. Mas agora é pensar daqui para frente e o que tiver que acontecer, vai acontecer da melhor maneira possível.

O técnico Oswaldo de Oliveira, que já havia admitido preocupação com o jogador, afirmou que espera ver Dudu bem novamente em breve. "Ele é um garoto e que está em formação. É muito jovem, teve uma contratação atribulada e esses últimos acontecimentos tiraram ele da estabilidade.. Isso é fase que muitos jogadores passaram, mas ele tem um potencial imenso, é um jogador difícil de marcar e que nos ajuda muito a romper defesas", analisou o treinador. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.