Com Leão, Palmeiras sobe no Brasileiro

Se o técnico Emerson Leão tivesse assumido o Palmeiras desde o início do Campeonato Brasileiro, o time poderia ser o líder do torneio. Isso porque o aproveitamento de Leão é de 70% - somou 19 dos 27 pontos disputados. O aproveitamento do Corinthians no primeiro turno foi de 62% (39 pontos dos 63 disputados). A próxima partida do Palmeiras será nesta quarta-feira, contra o São Caetano, às 19h30, no Parque Antártica. Leão assumiu dia 20 de julho, substituindo Paulo Bonamigo. Logo na estréia, venceu o Figueirense, fora de casa, por 4 a 1, iniciando a série invicta sob seu comando. Já são nove jogos, a maior seqüência invicta de um time neste Campeonato Brasileiro - o Paraná também não perde há nove rodadas. Foram cinco vitórias e quatro empates. O time marcou 18 gols e sofreu 11. Se as duas equipes apresentarem esse mesmo aproveitamento no segundo turno - o Palmeiras está em 10º lugar, com 32 pontos, a sete do líder Corinthians - o Palmeiras ultrapassará o rival na 39ª rodada. Os jogadores já começam a sonhar com a briga pelo título e não hesitam em apontar Leão como o maior responsável pela recuperação da equipe. "Quem joga no Palmeiras sempre entra numa competição para disputar o primeiro lugar, mas nós não começamos bem no torneio. Depois que o Leão chegou os resultados começaram a acontecer e a gente vai entrar na briga pelo título", afirma o volante Marcinho Guerreiro, um dos jogadores que subiram de produção com o novo técnico. Segundo o volante, o grande mérito do treinador foi dar confiança aos jogadores. Ele cita o seu exemplo: "Eu tive altos e baixos com o Bonamigo. Falhei em dois lances e isso me complicou muito. No jogo contra o Fortaleza, nem fui relacionado para o banco e isso me deixou chateado. Mas o professor Leão chegou e me deu o colete de titular. Poxa, quando um técnico como o Leão te apóia você faz o máximo para corresponder". Na partida de domingo, Marcinho Guerreiro foi um dos destaques do Palmeiras contra o Fluminense, principalmente no segundo tempo, quando anulou o meia Felipe. "Tirando o Robinho e o Tevez, na minha opinião, o Felipe é o melhor jogador do Brasileiro. O Leão pediu para vigiá-lo de perto. Se ele tem espaço, pode desequilibrar a partida. Ele já havia feito isso contra o Santos", conta Marcinho, que fez uma marcação leal, sem sequer ser advertido com cartão amarelo. Conhecido pelas jogadas viris, Marcinho Guerreiro quer mudar essa imagem com a ajuda do novo técnico. "No São Paulo, o Leão tinha Josué e Mineiro, dois volantes que atacam bastante. No Palmeiras, ele já me disse que posso surpreender e atacar quando tiver uma boa oportunidade. Contra o Fluminense, eu e o Roger tivemos boas chances para marcar. Vou mostrar que meu futebol tem qualidade", diz Marcinho. "Tem técnico que pede para marcar, parar jogadas e dar um toque de lado. Se você faz isso, te chamam de violento, de paulada. Mas o Leão é diferente. Ele dá espaço para você mostrar seu valor. Isso é muito bom para nós". Mas isso não significa que Marcinho vai facilitar para os adversários. "Há momentos em que você precisa parar a jogada. O Leão sempre fala para evitar as faltas nas laterais e perto da área. Mas quando precisar, pode fazer e parar a jogada. Tem hora que não tem jeito".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.