AFP
AFP

Com lesão leve, Dybala tem chances de jogar pela Juventus na Liga dos Campeões

Argentino foi substituído na partida contra a Sampdoria com dores na coxa, mas não preocupa

Redação, Estadão Conteúdo

27 de julho de 2020 | 14h14

A lesão sofrida pelo atacante Paulo Dybala é menos grave do que se acreditava e, assim, são boas as chances de que o jogador argentino possa ter condições de ser utilizado pela Juventus na partida contra o Lyon, na próxima semana, pelas oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa.

Com dores na coxa esquerda, Dybala teve de ser substituído durante o primeiro tempo da vitória da Juventus por 2 a 0 sobre a Sampdoria, no último domingo, um resultado que garantiu ao time de Turim a conquista do nono título consecutivo do Campeonato Italiano.

Nesta segunda-feira, a Juventus disse que os testes "revelaram um alongamento do reto femoral músculo da coxa esquerda." "Sua condição será avaliada dia a dia", acrescentou o clube de Turim, que não apresentou uma previsão sobre o período de afastamento dos gramados de Dybala.

Porém, nesse tipo de lesão, o tempo de recuperação costuma ser de cerca de dez dias. Assim, a Juventus passa a ter esperanças de contar com Dybala no duelo de volta das oitavas de final da Liga dos Campeões contra o Lyon, pois a partida está marcada para 7 de agosto. Até lá, o time terá dois compromissos pelo Campeonato Italiano, contra Cagliari e Roma.

A Juventus também informou que o brasileiro Danilo, que foi substituído no domingo após um choque de cabeça, não teve qualquer lesão diagnosticada nos exames a que foi submetido.

Em 26 de fevereiro, a Juventus perdeu o primeiro confronto da série por 1 a 0 para o Lyon, na França. Assim, o time precisa reverter esse resultado negativo para avançar às quartas de final da Liga dos Campeões, que será disputada em Lisboa, assim como as demais fases.

Tudo o que sabemos sobre:
Juventus de Turimfutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.