José Patrício/AE
José Patrício/AE

Com Luis Fabiano no ataque, Brasil enfrenta a Argentina

Técnico aposta em jogadores de Corinthians e São Paulo, além de Neymar, que já tem lugar cativo no ataque, para enfrentar hermanos

Vítor Marques, Agência Estado

19 de setembro de 2012 | 08h05

GOIÂNIA - Contra a falta de treinamento, nada melhor do que aproveitar o entrosamento de um punhado de jogadores que atuam juntos no Brasil. Esta foi a estratégia que o técnico Mano Menezes encontrou para enfrentar a Argentina, nesta quarta-feira, às 22 horas, no estádio Serra Dourada, em Goiânia, no primeiro confronto do Superclássico das Américas.

Do meio de campo para frente, a base da seleção brasileira será formada por atletas do Corinthians, do São Paulo e claro, por Neymar, em um desenho tático ofensivo, formando um trio de atacantes. Outra sacada de Mano Menezes: confrontos contra um rival como o desta quart requerem jogadores tarimbados. Não por acaso o centroavante Luis Fabiano, cotado para ser o capitão, será titular no seu primeiro jogo após a Copa de 2010.

Luis Fabiano está para esta seleção o que foi Ronaldinho Gaúcho na primeira edição do Superclássico, em 2011, a série de dois duelos contra a Argentina na qual as seleções não podem escalar atletas do futebol europeu. Mano Menezes se mostrou preocupado com excesso de juventude do time brasileiro e disse só não convocou o atleta do São Paulo antes porque o atleta passou um bom tempo machucado.

"O Luis Fabiano está de volta por esse critério. Já tentamos com outros jogadores e teremos mais para frente outros jogadores", afirmou o treinador, dando a entender que outros jogadores rodados podem ser resgatados para dar base de sustentação ao time que vai disputar a Copa de 2014 - caso, por exemplo, de Kaká.

O período de treino da seleção foi curto em Goiânia. Um dia de piscina e outro de treino com bola. Mas nada de excepcional. "Vamos fazer um treino tático de uns 30 minutos e uma oração para que tudo dê certo e vamos para o jogo", disse o treinador momentos antes de levar os jogadores ao estádio Serra Dourada.

Mano Menezes fez exatamente isso. Os jogadores correram em volta do gramado e a todo o instante eram recebiam aplausos da torcida que compareceu ao treino. Por ora, as vaias foram suspensas e deram lugar a gritos de Neymar e Luis Fabiano.

Quando montou o time, Mano Menezes fez o básico. Chamou Ralf e Paulinho, motores do Corinthians campeão da América, e os escalou ao lado de Jadson, tão são-paulino quanto Lucas e Luis Fabiano. A eles se juntou Neymar. O técnico irá armar seu ataque com Lucas pela direita, Luis Fabiano como centroavante (Leandro Damião será reserva) e Neymar pela direita. Jadson virá por trás deles, embora no treinamento ficou claro que Neymar terá mais liberdade que Lucas para se movimentar.

Luis Fabiano adorou a ideia de jogar nesse time. "É melhor ter o Neymar do seu lado do que contra. Ele é um jogador fantástico", disse o atacante, de 31 anos, e 28 gols pela seleção. "Há cinco meses nem imaginava que estaria aqui, eu vinha sofrendo para estar 100% e agora estou com Lucas, com Neymar. É um prêmio".

O Brasil terá dois estreantes em seleção como titular. Lucas Marques, do Botafogo, na lateral direita, e Fábio Santos, do Corinthians, na esquerda. Aposta como o jovem Bernard, de 20 anos, que vem fazendo um bom Brasileirão pelo Atlético Mineiro, começa no banco de reservas. Mano Menezes disse que o Brasil precisa vencer o jogo desta quarta para ir à Argentina com vantagem no jogo da volta, dia 3 de outubro, na cidade de Resistência. Em 2011, o Brasil empatou fora de casa e ganhou em Belém.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.