Filipe Araújo/AE
Filipe Araújo/AE

Com Lula, Corinthians e Odebrecht assinam o contrato do Itaquerão

Estádio corintiano, que vai receber a abertura da Copa de 2014, custará R$ 820 milhões

Anne Warth, Agência Estado

03 de setembro de 2011 | 14h02

SÃO PAULO - O Corinthians e a construtora Odebrecht assinaram na tarde deste sábado o contrato para a construção do estádio que vai ser oficializado em breve para receber o jogo de abertura da Copa do Mundo de 2014, em São Paulo. O compromisso foi firmado durante a festa dos 101 anos de fundação do clube, realizada no canteiro de obras do próprio Itaquerão, que contou com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, um dos maiores incentivadores da arena corintiana.

De acordo com as informações da construtora Odebrecht, o novo estádio do Corinthians, localizado no bairro de Itaquera, na zona leste de São Paulo, vai custar R$ 820 milhões e terá capacidade para 48 mil torcedores. Para se adaptar às exigências da Fifa e poder receber o jogo de abertura da Copa de 2014, terá mais 20 mil assentos retráteis para ampliar sua capacidade para 68 mil lugares - essa ampliação provisória deve ser bancada pelo governo paulista.

Os assentos retráteis estarão distribuídos nas áreas livres atrás de cada gol, em um anel superior, e poderão ser removidos após o encerramento do Mundial. De acordo com a Odebrecht, o projeto do estádio inclui cobertura em praticamente todos os lugares e a distância entre o primeiro espectador em relação à linha lateral do campo será de apenas sete metros. O projeto é assinado pelo arquiteto Aníbal Coutinho.

Ainda segundo a Odebrecht, o financiamento do estádio do Corinthians será feito por meio de Fundo de Investimento Imobiliário (FII), que arrecadará recursos com a venda de cotas de participação, a serem remuneradas com as futuras receitas da própria arena, e com o recebimento de Certificados de Incentivo ao Desenvolvimento (CID), que serão emitidos na conclusão da obra.

O cotista sênior do FII será uma Sociedade de Propósito Específico (SPE), que tomará financiamento junto ao BNDES, segundo as condições do Programa ProCopa Arenas, oferecido a todos os estádios que receberão jogos do Mundial de 2014. Os CIDs são incentivos baseados em uma lei municipal de 2004 para estimular investimentos na zona leste da capital paulista. Eles poderão ter um valor equivalente a até 60% do valor do investimento total.

No caso do estádio do Corinthians, o valor dos CIDs será limitado a R$ 420 milhões. Os certificados serão emitidos pela Prefeitura de São Paulo, podendo ser usufruídos após a conclusão total do Itaquerão, e terão validade de até dez anos. Os CIDs poderão ser utilizados para o pagamento de impostos como ISS e IPTU da capital paulista.

Ainda de acordo com a construtora Odebrechet, a distância do estádio em relação à futura estação Itaquera do metrô será de 500 metros. O novo estádio corintiano terá 120 camarotes no padrão da Uefa, quatro camarotes especiais, com capacidade para até 90 pessoas cada, 15 camarotes para patrocinadores, seis mil cadeiras superiores cobertas, dez mil cadeiras numeradas e cobertas, restaurantes, bares e 3.500 vagas de estacionamento, sendo mil delas descobertas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.