Com Luxa, Leandro cresce de produção e ganha destaque

Lateral-esquerdo é o único do grupo que atuou em todos os jogos do Palmeiras nesta temporada

Juliano Costa, Jornal da Tarde

03 de abril de 2008 | 19h49

O rodízio na lateral-esquerda palmeirense acabou. Depois de ficar um ano entrando e saindo do time, num revezamento com Valmir, Leandro abocanhou de vez a posição. Tanto que ele é o único jogador que foi titular em todas as partidas do Palmeiras nesta temporada. "A fase é boa porque hoje sinto que as pessoas confiam em mim. E confiança é tudo, não?", admitiu o jogador.   Veja também: Simule a classificação final da primeira fase do Paulistão Quais times devem se classificar para a semifinal do Paulistão Classificação Próximos jogos   Leandro contou que ano passado não se sentia tão prestigiado por Caio Júnior, o técnico do Palmeiras na época. Jogava alguns jogos e deixava o time para a entrada de Valmir. Ficava no banco por mais algumas partidas e entrava de novo como titular - um círculo vicioso em que ninguém saía ganhando.   "Agora é diferente. O Vanderlei confia em mim. Se erro uma jogada, sei que ele não vai me tirar do time logo em seguida", afirmou Leandro, feliz da vida pela chegada de Luxemburgo ao Palmeiras.   Dos 20 jogos do Palmeiras neste ano, Leandro foi substituído em apenas dois - contra Mirassol e Ituano -, logo no início do Paulistão. O time empatou o primeiro e perdeu o segundo. Ficou claro para Luxemburgo que o problema não era Leandro. "A gente já se conhecia da época do Cruzeiro", lembrou o lateral.   O primeiro encontro entre os dois aconteceu em 2003 e foi muito vitorioso - naquele ano, o Cruzeiro conquistou os títulos do Campeonato Mineiro, Brasileirão e Copa do Brasil. "O que faz diferença e não aparece para a torcida é a comissão técnica. O trabalho dos preparadores físicos e fisioterapeutas é fantástico", disse Leandro.   E ele sabe bem o que fala. Em 2005, Leandro sofreu uma grave lesão muscular no Porto, de Portugal, quando estava no auge. Ficou praticamente um ano sem jogar. Apareceu no Palmeiras em janeiro do ano passado, longe do condicionamento físico ideal. E nunca entrou totalmente em forma. Cansado, viu o novato Valmir, sete anos mais jovem, sair das equipes de base direto para o time titular.   "A briga por posição é sadia. Quem sai ganhando é o Palmeiras", discursava Leandro na época. Por dentro, porém, o lateral que vai fazer 29 anos no próximo dia 19 sabia que ficar na reserva era quase uma vergonha. Um jogador com passagem pela seleção brasileira não poderia ser preterido por um garoto recém-promovido da base.   Era preciso fazer alguma coisa. E Leandro fez. "Continuei trabalhando, treinando forte. Era a única forma de retomar meu lugar", admitiu o lateral.   O empréstimo do Porto termina em junho. A diretoria palmeirense já sondou o clube português sobre a possibilidade de extensão do contrato. "Quero muito continuar no Palmeiras", avisou Leandro.

Tudo o que sabemos sobre:
Palmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.