Com Maradona na tribuna, Napoli ganha e passa à final

Na decisão, time do argentino Higuaín enfrenta a Fiorentina

Agência Estado

12 de fevereiro de 2014 | 20h13

NÁPOLES - Com a força de sua torcida no estádio San Paolo e inspirado pela presença do ídolo Diego Maradona na tribuna, o Napoli conseguiu nesta quarta-feira a classificação à decisão da Copa da Itália. Depois de perder para a Roma na semana passada por 3 a 2, no estádio Olímpico, o time napolitano ganhou a partida de volta das semifinais por 3 a 0 e avançou à sua nona final da competição.

Na busca por seu quarto título - o último conquistado na temporada 2011/2012 -, o Napoli terá pela frente a Fiorentina, que na última terça se classificou ao eliminar a Udinese. A decisão, marcada para o estádio Olímpico de Roma, está originalmente programada para o dia 3 de maio. No entanto, caso uma ou as duas equipes avancem à semifinal da Liga Europa - que terá os jogos de volta dois dias antes -, a final será reprogramada para 7 de maio.

O JOGO

O jogo de volta desta semifinal entre Napoli e Roma foi explosivo dentro e fora de campo. Por causa da enorme rivalidade entre os clubes, os torcedores romanos sofreram com as incontáveis bombas jogadas pelos napolitanos, especialmente no primeiro tempo, perto do setor destinado à torcida visitante, que é protegida por uma redoma de vidro.

Em campo, o duelo teve predomínio do Napoli, mas a Roma levou muito perigo em contra-ataques puxados pelo marfinense Gervinho. O primeiro gol napolitano saiu aos 33 minutos, em um cruzamento perfeito do lateral-direito Maggio para o meio da área. Posicionado entre os zagueiros, o espanhol Callejón cabeceou no canto esquerdo de De Sanctis.

No intervalo, a torcida presente ao San Paolo foi ao delírio com a chegada de Maradona ao estádio. Uma enorme confusão tomou conta das tribunas e o craque argentino quase não pôde ver os gols em sequência que o Napoli marcou no início do segundo tempo. Aos 3 minutos, o compatriota Higuaín, que declarou querer repetir os passos do ídolo em Nápoles, marcou de cabeça apois escanteio pela esquerda. Aos 6, foi a vez do brasileiro Jorginho, desconhecido por aqui, tocar na saída de De Sanctis depois de bela assistência do holandês Mertens.

Com 3 a 0 no placar, o Napoli pôde administrar o resultado. Tomou alguns sustos da Roma, como em um gol anulado de Gervinho por impedimento, mas se garantiu na decisão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.