Rhona Wise/AFP
Rhona Wise/AFP

Com maratona à vista, Fifa propõe cinco substituições por time na retomada do futebol

Sugestão é que cada equipe possa fazer duas mudanças no intervalo, além das três tradicionais alterações

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de abril de 2020 | 11h11

A Fifa está estudando maneiras de ajudar os clubes dentro de campo quando o futebol voltar às suas atividades depois da pandemia do novo coronavírus. A entidade propôs uma mudança temporária na regra das substituições para lidar com a provável maratona de jogos. A sugestão é que cada equipe possa fazer cinco trocas por partida, sendo duas no intervalo, em vez das tradicionais três.

A proposta da Fifa está sujeita à aprovação da International Board (IFAB, na sigla em inglês), órgão que faz a gestão das regras do esporte, que deve se reunir nos próximos meses. A ideia da entidade máxima do futebol é amenizar os efeitos da parada provocada pela pandemia da covid-19 e do desgaste físico dos atletas no retorno, aliado a uma pequena pré-temporada.

"Quando as competições recomeçarem, o calendário estará sobrecarregado com uma frequência de jogos superior ao normal", afirmou um porta-voz da Fifa. "A segurança dos jogadores é a nossa prioridade e a carga de jogos poderá aumentar o número de lesões. Assim, perante o desafio que as ligas enfrentam, a Fifa propõe um maior número de substituições de forma temporária. Uma mudança adicional poderá ser usada em contexto de prolongamento", acrescentou.

Após a aprovação por parte da IFAB, ainda caberia a cada confederação nacional a decisão final de adotar a medida ou não. Para que as substituições não sejam utilizadas como forma de diminuir o tempo de bola rolando, elas deveriam ser feitas em, no máximo, três interrupções por cada time ou durante o intervalo.

A medida pode ser aplicada ao longo da temporada 2020/2021 e pode ser estendida "teoricamente" durante a Eurocopa ou a Copa América - as duas competições continentais de seleções foram adiadas pela Uefa e pela Conmebol, respectivamente, para junho e julho de 2021.

As principais ligas de futebol, paralisadas pela pandemia do novo coronavírus, ainda não têm previsão de retorno, mas as equipes estão lentamente retornando aos treinos, respeitando protocolos próprios de segurança e saúde confeccionados por médicos dos clubes e infectologistas.

Na Alemanha, os times já voltaram a treinar e esperam a liberação do governo para retomar o campeonato nacional de portões fechados a partir de 8 de maio. Na Itália, o primeiro ministro Giuseppe Conte anunciou neste domingo que os clubes poderão voltar a treinar no dia 18 de maio, mas ainda não há uma data para a retomada das competições.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.