Com Mina, Borja e Guerra convocados, Cuca reclama do calendário brasileiro

Técnico terá de lidar com desfalques importantes para as próximas partidas em função dos jogos das seleções nacionais

Gonçalo Junior, Estadao Conteudo

05 de junho de 2017 | 11h14

O técnico Cuca terá de lidar com desfalques importantes para as próximas partidas em função dos jogos das seleções nacionais. Os colombianos Borja e Mina, além do venezuelano Guerra, serão baixas nos próximos três jogos do Palmeiras, contra Coritiba, Fluminense e Santos.

"Teremos baixas porque o Brasil é o único lugar que não tem Data Fifa, os campeonatos não param. Quem tem jogador selecionável acaba punido. Vamos ser punidos com três perdas. Agora é confiar na força do grupo e vencer em Curitiba", afirmou o treinador após o empate por 0 a 0 contra o Atlético-MG, no Allianz Parque, pela quarta rodada do Campeonato.

Cuca já teve de recorrer à "força do grupo", como ele mencionou no jogo de domingo. Por causa de dores no músculo adutor da coxa, o capitão Dudu não atuou. O escolhido foi o atacante Keno, que aproveitou bem a oportunidade e foi o melhor em campo. Se Dudu não se recuperar, Keno deverá ser escalado novamente em Curitiba, na próxima quarta-feira.

"O Keno foi o principal jogador da equipe, uma pena ter saído no segundo tempo. A tarde era dele. Infelizmente, precisei substitui-lo por câimbras. Penso no time hoje, e hoje ele é titular. Estamos satisfeitos com o Keno, que pode jogar em algumas posições, assim como Dudu. Quando o jogador é bom, a gente sempre acha lugar", disse o comandante.

Raphael Veiga e Hyoran brigam por posição no meio para substituir Guerra. Na zaga, Juninho e Antônio Carlos disputam um lugar ao lado de Edu Dracena. No ataque, sem Borja, Willian, que já vinha sendo titular, permanecerá no time.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasCucaMinaBorjaGuerra

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.