Com Neymar titular, Barcelona empata e é campeão

Mesmo tendo o brasileiro ao lado de Messi durante os 90 minutos, time catalão não consegue balançar as redes

AE, Agência Estado

28 de agosto de 2013 | 19h58

BARCELONA - O Barcelona teve bastante dificuldade, mas conquistou nesta quarta-feira seu primeiro título na temporada 2013/2014. Diante de um Atlético de Madrid que foi melhor em diversos momentos da partida, o time catalão se beneficiou do resultado de 1 a 1 na primeira partida, em Madri, e graças ao gol marcado fora de casa faturou a Supercopa da Espanha, ao ficar no empate por 0 a 0 no Camp Nou.

Este é o primeiro título do que parece ser uma nova geração no Barcelona, sob o comando do argentino Gerardo Martino e com Neymar, que ficou em campo nos 90 minutos, no ataque. O brasileiro, aliás, teve papel fundamental na conquista, já que foi dele o gol de empate do time catalão na ida.

Nesta quarta-feira, os torcedores puderam ver Neymar como titular de uma partida oficial do Barcelona pela primeira vez. E o brasileiro teve como companheiro Lionel Messi, que era dúvida para a partida por conta de um problema muscular na perna esquerda, mas foi confirmado por Martino momentos antes da partida. O argentino teve a melhor chance da partida, mas cobrou pênalti no travessão no fim.

EM BRANCO

No primeiro tempo, Neymar pouco apareceu. Escondido pelo lado esquerdo do campo, o brasileiro não foi muito acionado, e quando foi acabou abusando da individualidade em alguns lances. Na etapa final, o atacante buscou o jogo, arriscou mais e teve grande oportunidade, em lance no qual preferiu o toque para Fàbregas ao invés da finalização, mas deu mostras claras de que ainda encontra-se em processo de adaptação.

O Barcelona começou dominando a posse de bola e encurralando o Atlético de Madrid. Logo aos sete minutos, Busquets deu linda enfiada para Messi, que dominou e só não marcou porque foi travado pelo brasileiro Filipe Luís. Na sequência, Jordi Alba recebeu pela esquerda e cruzou bem. Sánchez quase aproveitou na segunda trave. Aos poucos, o Atlético de Madrid acertou a marcação e, se seguia encurralado na defesa, não deixava que o Barcelona criasse. A primeira chegada da equipe madrilenha aconteceu apenas aos 34 minutos, quando Koke aproveitou rápido contra-ataque e só parou em Valdés.

Apesar da superioridade do Barcelona no primeiro tempo, a melhor chance foi do Atlético, e em jogada ao estilo catalão. Após rápida troca de passes pelo lado esquerdo, Turán recebeu na entrada da área e bateu forte. Valdés se esticou todo e fez linda defesa para impedir a abertura do placar.

Precisando marcar para ser campeão, o Atlético voltou superior para o segundo tempo e David Villa obrigou Valdés a fazer outra ótima defesa em novo chute de fora da área, aos 11 minutos. Dez minutos depois, o Barcelona respondeu. Daniel Alves cruzou da direita e Neymar, sozinho, preferiu tentar o toque para Fàbregas ao invés da finalização, mas acabou errando.

Tudo ficou mais fácil para o Barcelona aos 35 minutos, quando Filipe Luís foi expulso após desentendimento com outro brasileiro: Daniel Alves. Sete minutos depois, após rápida troca de passe pela direita, Miranda atropelou Pedro na área e o árbitro deu pênalti. Messi partiu para a bola e bateu no travessão a última chance da partida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.