Divulgação/Coritiba
Divulgação/Coritiba

Com nove atletas e técnico com covid, Coritiba tenta se superar contra o Bahia

Equipe paranaense é mais uma vítima do novo coronavírus; baianos tentam aproveitar a situação para subir na tabela

Redação, Estadão Conteúdo

16 de novembro de 2020 | 08h28

O técnico Rodrigo Santana teria muita dificuldade para escalar o Coritiba para a partida desta segunda-feira, às 18 horas, contra o Bahia, no Couto Pereira, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro, já que o elenco passa por um surto de covid-19 e nove jogadores foram infectados. No entanto, nem mesmo o treinador vai participar da partida. Ele também está entre os que testaram positivo para o novo coronavírus, assim como mais sete membros da comissão técnica.

O auxiliar Pachequinho vai comandar a equipe da beira do gramado e deve ser obrigado a mandar um time a campo com muitas mudanças. As novidades principais estão nas laterais. Na esquerda, William Matheus está de volta após ser liberado da última partida por conta do falecimento de sua mãe. Na direita, Mailton, que chegou por empréstimo do Atlético-MG, deve fazer sua estreia.

Com 20 pontos, o Coritiba é o 17º colocado, o primeiro dentro da zona do rebaixamento. No entanto, uma vitória nesta segunda-feira garante a ultrapassagem justamente do rival Athletico-PR, que tem dois pontos a mais e está em 16º.

Tentando se aproximar da briga pelo G-6, o Bahia volta a contar com a dupla titular de volantes: Elias e Gregore. Os dois cumpriram suspensão na última quarta-feira, na vitória por 2 a 1 sobre o Fortaleza, e devem retornar ao time nos lugares de Ronaldo e Edson.

Por outro lado, o lateral-esquerdo Juninho Capixaba recebeu o terceiro cartão amarelo e desfalca a equipe. O técnico Mano Menezes deve optar por Zeca para a posição. O zagueiro Ernando e o lateral-direito João Pedro seguem no departamento médico e, mais uma vez, não foram relacionados para a partida.

O Bahia tem 25 pontos e ocupa a nona colocação, ainda sonhando com uma vaga no G6, que começa com o Santos, com 34 pontos. O risco de rebaixamento ainda existe, já que se trata de um confronto direto contra o primeiro time na zona do rebaixamento, que está com 20 pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.