Sirli Freitas/Chapecoense
Sirli Freitas/Chapecoense

Com o sinal vermelho ligado, Chapecoense promete quebrar jejum contra o Grêmio

Time catarinense ocupa a 17ª colocação, com 16 pontos, mesma pontuação do Bahia, primeiro fora da zona da degola

Estadão Conteúdo

29 de julho de 2018 | 08h34

A derrota para o Botafogo por 1 a 0 no Rio de Janeiro e a entrada na zona de rebaixamento ligaram o alerta vermelho na Chapecoense. O time catarinense buscará a vitória a todo custo neste domingo, às 19 horas, na Arena Condá, diante do Grêmio. Há quatro jogos sem vencer, a Chapecoense ocupa a 17ª colocação, com 16 pontos, mesma pontuação do Bahia, primeiro fora da zona de rebaixamento no Brasileirão. O time catarinense perde no número de vitórias: 4 a 3.

+ Leia mais notícias sobre a Chapecoense

+ Confira a tabela de classificação do Campeonato Brasileiro

+ Grêmio poupa titulares e aposta em Marinho e Douglas ante a Chapecoense

O técnico Gilson Kleina terá o retorno do atacante Wellington Paulista, suspenso na última rodada. O artilheiro retorna ao lado de Leandro Pereira e Osman, este ainda briga por posição com Bruno Silva. Esta deve ser a única mexida de Kleina, que não gosta de mudanças radicais.

A outra boa notícia é que Yann Rollim, ex-Juventude, teve o nome publicado no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF e já pode fazer sua estreia. A expectativa é que fique como opção no banco de reservas.

"Ficar nessa zona debaixo é ruim. Estamos buscando sempre a vitória. Pode ter certeza que a Chapecoense vai crescer dentro e fora de casa. Têm jogadores chegando e vão acrescentar muito. Esperamos fazer um grande jogo contra o Grêmio", revelou Gilson Kleina.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.