Divulgação
Divulgação

Com orquestra, coral e estátua, Pelé abre Centro de Excelência de Futebol no RJ

Estrutura que leva o nome do Rei do Futebol conta com seis campos e alojamento para 128 atletas

Estadão Conteúdo

12 de dezembro de 2018 | 18h53

Em um evento no qual foi recebido ao som de uma orquestra, Pelé inaugurou na tarde desta quarta-feira, em Resende (RJ), um Centro de Excelência de Futebol que leva o seu nome e tem como principais objetivos a formação e o desenvolvimento de novos atletas. 

Com educação e cidadania também como outros pilares do projeto, a denominada Academia Pelé conta com seis campos de futebol, sendo um deles de grama sintética e um outro exclusivo para treinamento de goleiros, além de possuir academia, vestiário, alojamentos para 128 atletas, cozinha industrial, miniauditório, sala de recreação e escola para 200 alunos. Além disso, o local tem uma arena multiuso com capacidade para 2.800 expectadores. 

"É uma responsabilidade muito grande ter meu nome ligado a uma cidade. Resende abriu as portas e é com muito orgulho que eu posso apresentar esse Centro de Excelência do Futebol, principalmente para preparar as crianças para serem grandes homens, grandes pessoas. Educação e esporte têm que andar juntos para criarmos cidadãos. Essa é a grande importância do projeto", afirmou Pelé, que chegou ao local com o auxílio de uma cadeira de rodas por causa do problema no seu quadril, operado por duas vezes nos últimos seis anos.

O Rei do Futebol, de 78 anos, chegou ao evento desta quarta-feira recebido ao som de violino, violoncelo e contrabaixo, tocados pela Orquestra de Cordas da Educação de Resende, composta por 28 crianças. Depois disso, outras 20 crianças do Coral do Colégio Municipal Getúlio Vargas, também desta cidade do interior do Rio, cantaram para o astro.

Para completar, Pelé foi levado em seguida até a entrada do CT, onde lhe foi apresentada uma estátua feita em sua homenagem. Nela, ele é retratado vestindo um uniforme da seleção brasileira. E a reverência ao ídolo também esteve presente no fato de que 1.283 mudas de várias espécies, o mesmo número de gols que o ex-jogador marcou em sua carreira, foram plantadas ao redor dos campos do CT em uma área que foi chamada de Bosque de Gols.

As homenagens emocionaram Pelé, que enfatizou a importância que este Centro de  Excelência de Futebol pode ter para o futuro das crianças que o frequentarão. "Eu já falava lá em 1969, quando marquei o milésimo gol, que a gente precisava olhar pelas crianças, e elas precisam continuar sonhando para chegarem a ser o que desejam ser. Recebi essas homenagens aqui hoje, e vocês sabem que sou chorão, que me emociono mesmo. E olha que elas (as crianças de hoje) nem me viram jogar e, mesmo assim, consigo receber todo esse carinho. Espero que esse projeto possa ajudar a desenvolver muitas e muitas crianças", ressaltou o Rei do Futebol.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.