Clayton de Souza/Estadão
Clayton de Souza/Estadão

Com Oswaldo pressionado, Palmeiras enfrenta o ASA'

Equipe alviverde espera obter boa vantagem na Copa do Brasil

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

27 de maio de 2015 | 07h02

Poucos ou nenhum treinador no futebol brasileiro se sentem tão pressionados como Oswaldo de Oliveira. Se alguém tinha alguma dúvida, após a entrevista coletiva que ele concedeu na terça-feira, agora tem certeza. Acuado, o treinador tenta levantar o ânimo dá também pressionada equipe do Palmeiras para encarar o ASA hoje, 22h, no Allianz Parque, pela terceira fase da Copa do Brasil

Para mostrar segurança e confiança em seu trabalho, Oswaldo mandou recado para a imprensa e até a diretoria. "Tenho 60 anos de idade, 40 de carreira sendo 22 vividos fora do Brasil. Encarei técnicos de diversas partes do mundo e não tenho necessidade alguma de viver da pressão de pessoas que têm menos experiência do que eu", disse o treinador. 

A reunião ocorrida ontem, onde o diretor de futebol Alexandre Mattos reuniu o elenco para cobrar publicamente pela má atuação, não pegou bem para o treinador, que achou desnecessária a exposição. "Deveríamos ter feito isso aqui dentro. Conversa de portas fechadas, como faço com meus filhos. Prefiro fazer tudo de forma mais comedida", bradou.

O número de insatisfeitos com o trabalho do treinador cresce a cada dia nos bastidores do clube e um tropeço hoje e no domingo, diante do Corinthians, pode tornar a situação ainda mais delicada. Para piorar, Vanderlei Luxemburgo foi demitido do Flamengo e seu nome ronda o Alviverde desde que Paulo Nobre assumiu a presidência em 2013. 

"Normal isso acontecer (especulação). Até pouco tempo, o Vanderlei estava indo para o São Paulo. Ano passado, quando eu estava no Santos e o Nei Franco deixou o Flamengo, eles me procuraram. Eu tenho contrato e estou amando meu trabalho no Palmeiras. Estou gostando de tudo que estamos conseguindo fazer", disse.

Pelo menos por enquanto, a diretoria não cogita a possibilidade de demitir Oswaldo, entretanto as coisas podem mudar de acordo com o desempenho e nas próximas partidas. A torcida também começa a demonstrar insatisfação. Até ontem, haviam sido vendidos 13 mil ingressos para o jogo. Em outra situação, o público já seria de pelo menos 20 mil.

No meio de tudo isso, o Palmeiras precisa encarar o ASA. A velha história do fantasma de 2002 – quando o time alagoano eliminou o Alviverde na Copa do Brasil – praticamente foi ignorada pelos palmeirenses. 

O momento atual já é o suficiente para o time entrar pressionado e ciente da obrigação de fazer um bom resultado para amenizar o clima e deixar a classificação para as oitavas bem encaminhadas.

MUDANÇAS

No jogo de hoje, Oswaldo não poderá contar com Robinho e Victor Ramos, machucados, Dudu, suspenso, e Rafael Marques, que se recupera de gripe. Zé Roberto deve ficar no banco, poupado. Por outro lado, Cleiton Xavier fica como opção. Ele não atua desde o segundo jogo da final do Campeonato Paulista. O ASA não poderá contar com o lateral-esquerdo Rayro e o meia Didira, que estão machucados. 

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas, Jackson, Vitor Hugo e Egídio; Gabriel, Arouca, Alan Patrick, Kelvin e Valdivia; Cristaldo

Técnico: Oswaldo de Oliveira

ASA: Pedro Henrique; Gabriel, André Nunes, Fábio Alves e Jorginho; Max Carrasco, Marcos Antônio, Uéderson e Valdanes; Alex Henrique

Técnico: Vica

JUIZ: Rodolpho Toski Marques (PR)

LOCAL: Allianz Parque

HORÁRIO: 22h

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasFutebolCopa do BrasilASA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.