Gilvan de Souza/Divulgação
Gilvan de Souza/Divulgação

Com Pará mantido na lateral, Flamengo defende invencibilidade

Mesmo com a recuperação de Léo Moura, Luxemburgo opta pela manutenção do recém-chegado diante do Boavista no Maracanã

Ronald Lincoln Jr., O Estado de S. Paulo

19 de fevereiro de 2015 | 08h05

O Flamengo vai tentar manter a invencibilidade no Campeonato Carioca diante do Boavista nesta quinta-feira, às 19h30, no Maracanã, pela quinta rodada da competição. A surpresa no time para esse jogo é a manutenção de Pará na lateral direita, embora Léo Moura esteja recuperado de uma contusão que o tirou dos últimos jogos. A equipe conquistou 10 pontos até o momento.

O técnico Vanderlei Luxemburgo encarou com naturalidade a saída de Léo Moura, que antes de se machucar era capitão do time. "Às vezes se cria uma ideia, como se o Léo fosse perpétuo, e que não pudesse tirá-lo. Não existe isso. Optei pelo Pará, mas amanhã (quinta) pode voltar o Léo. Está tudo dentro de uma coisa muito natural", explicou o técnico após o treino desta quarta-feira. 

Em relação ao último jogo, o time titular terá duas mudanças. O lateral-esquerdo Thalyson vai atuar no lugar do contundido Anderson Pico. O meia Gabriel será substituído pelo atacante Nixon, que foi poupado na última rodada. 

O time ainda terá uma baixa no banco de reservas. O atacante Alecsandro sentiu um desconforto na coxa e será poupado. O jogador vinha obtendo boas apresentações quando entrava no decorrer das partidas, e será um desfalque importante.

"O Alecsandro estava sentindo um pouco de dor, então preferimos deixá-lo fora para se recuperar, assim como fizemos com Gabriel e Eduardo. Vai se recuperar para depois ficar totalmente à disposição. Com uma lesão de adutor hoje, dependendo do grau, você pode ficar três ou quatro semanas sem o jogador, e isso não interessa para a gente", afirmou Luxemburgo.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCampeonato CariocaFlamengo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.