Lucas Figueiredo/ CBF/ Divulgação
Lucas Figueiredo/ CBF/ Divulgação

Com Paulinho e Willian como titulares, seleção quer virar líder na terça

Tite comanda apenas um treino na Venezuela antes da partida contra o lanterna

Ciro Campos, enviado especial a Natal, O Estado de S.Paulo

10 Outubro 2016 | 05h00

A seleção brasileira deixou no domingo Natal rumo à Venezuela com escalação e meta definidas para o jogo desta terça-feira em Mérida. O técnico Tite escalou a equipe no último trabalho na Arena das Dunas, pela manhã, com os retornos do volante Paulinho na vaga de Giuliano e do meia Willian como substituto de Neymar, suspenso, com a missão de conquistar diante do lanterna das Eliminatórias da Copa do Mundo o posto de líder da competição.

A principal dúvida na escalação para o jogo em Mérida, no Oeste da Venezuela, acabou nos primeiros instantes do treino tático da manhã de domingo. Tite logo reuniu Giuliano e Paulinho para explicar a troca, efetuada porque o ex-corintiano cumpriu suspensão contra a Bolívia e está liberado para voltar ao time. Logo depois, quando separou os times para o trabalho, o treinador definiu a volta de Willian.

O meia do Chelsea perdeu a vaga para Philippe Coutinho contra a Bolívia por preferência de Tite. Agora, Willian retorna na vaga de Neymar, mas será posicionado em outra posição, como meia pelo lado direito, função ocupada por ele nos dois primeiros jogos de Tite no comando da seleção. Contra a Bolívia, o papel coube a Philippe Coutinho, que será mantido na equipe contra a Venezuela, mas transferido para a posição de Neymar, o lado esquerdo do setor ofensivo, posição em que o meia joga no Liverpool.

"Jogar pela esquerda é a posição que atuo no Liverpool. Estou acostumado. Como jogo lá com frequência, então fico à vontade por aquele setor", disse Coutinho, autor de um dos gols na vitória sobre a Bolívia.

Apenas um ponto atrás do Uruguai, o Brasil alimenta a ambição de assumir o primeiro lugar pela tabela favorável nesta rodada. Apesar de ser visitante, a equipe do técnico Tite enfrenta o último colocado, que ainda não venceu um jogo sequer. Já os rivais diretos, têm partida complicada em Barranquilla contra a Colômbia.

"Vamos em busca da vitória, com o pensamento de fazer a nossa parte. Para nós é importante ser líderes das Eliminatórias, mas não adianta nada pensar nisso e não ganhar o jogo", disse o atacante Gabriel Jesus, titular garantido na partida. A combinação necessária para tomar a primeira posição é uma vitória brasileira somada a um empate ou derrota do Uruguai. 

O jogo na Venezuela marca a abertura do primeiro turno e pode significar ao Brasil atingir a metade do planejamento traçado por Tite para garantir vaga na Copa do Mundo. Em setembro, pouco depois de estrear no cargo, o treinador calculou que mais seis vitórias seriam necessárias para confirmar presença no Mundial da Rússia. Depois dessa previsão, a equipe ganhou os dois jogos disputados. 

PROGRAMAÇÃO

A equipe faz nesta segunda-feira, às 18h, o último treino antes do jogo a Venezuela. A partida será no estádio Metropolitano, em Mérida. A seleção volta ao Brasil em voo fretado logo depois da partida. O destino sera o aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, onde se encerra a agenda da equipe.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.